Você ainda vai ser fértil daqui cinco anos?


Malu Echeverria
por: Malu Echeverria

barriga gravidez mulher

A idade é o principal fator que interfere na fertilidade da mulher (Foto: CrayonStock)

As mulheres brasileiras, seguindo uma tendência mundial, estão adiando a maternidade. Em São Paulo, Rio Grande do Sul e Distrito Federal, por exemplo, um em cada dez partos são de mulheres com idade entre 35 e 39 anos, de acordo com o último senso do IBGE. A principal razão para prorrogar o sonho de ser mãe, claro, é a vontade de conquistar mil coisas antes… Estabilidade financeira e o parceiro ideal, para começar. Acontece que, como sabemos, o nosso relógio biológico não perdoa. A partir dos 35 anos, as chances de engravidar diminuem drasticamente. E mesmo quem já teve um filho pode ter dificuldade para aumentar a família ou constituir outra, caso esteja se casando novamente.

Por sorte, a medicina acompanhou tais mudanças sociais e, hoje em dia, existem diversas técnicas de reprodução assistida que tornam possível a maternidade mesmo após os 40 anos. Mas você também pode – e deve – dar uma força à natureza para preservar a sua fertilidade. A ginecologista e obstetra Fernanda Rodrigues, especialista em reprodução humana do Grupo Huntington, dá algumas dicas.

It Mãe: Que fatores podem interferir na fertilidade feminina, além da idade da mulher?
Fernanda Rodrigues: 
A idade é o principal fator que a paciente deve levar em consideração quando planeja outro bebê. Além disso, é importante ressaltar que quem deseja engravidar, seja o primeiro ou segundo filho, deve estar com a saúde em dia. Os exames de rotina ginecológica, por exemplo, são fundamentais para verificar as reais possibilidades e não ser surpreendida no futuro. Ter uma alimentação balanceada, praticar exercícios físicos regularmente e suspender o tabagismo também são medidas importantes para uma gravidez bem-sucedida.

It Mãe: Medicamentos também podem influenciar a fertilidade?
Fernanda Rodrigues: 
Alguns utilizados para quimioterapia e radioterapia, sim. Nesse caso, pacientes submetidas a esse tipo de tratamento devem ser informadas sobre o risco e as formas que existem atualmente de preservação da fertilidade (congelamento de óvulos ou embriões, nesse caso). Mas quem já está tentando engravidar deve utilizar apenas medicamentos que são permitidos durante a gravidez, pois sabemos alguns remédios causam problemas na formação do feto, sobretudo nos primeiros 3 meses de gestação.

It Mãe: Se não houve problema para engravidar na primeira vez, isso significa que será fácil também em uma próxima oportunidade?
Fernanda Rodrigues: 
Sim, já que o sistema reprodutivo foi testado (e aprovado!). Porém, é preciso lembrar que se trata de outro momento da vida e que as condições podem ter mudado. Além de a mulher ter ficado mais velha, com o tempo, algumas doenças podem surgir ou outras que já existiam se agravar. Como, por exemplo, endometriose, miomas, pólipos, etc. Por isso, caso a gestação não aconteça em seis meses, é aconselhável buscar ajuda médica para investigar a causa.

It Mãe: A saúde do pai pode interferir em uma próxima gestação?
Fernanda Rodrigues: 
Apesar de a responsabilidade de engravidar pesar principalmente para a mulher, grande parte dos casos de infertilidade secundária (casais que já tiveram um filho juntos e não conseguem ter o segundo) são de causas masculinas. Portanto, ele também deve se cuidar.

  • Malu Echeverria

    Jornalista, mãe do Gael e redatora-chefe do It Mãe. Para ela, é essencial colocar a máscara de oxigênio primeiro na gente, depois na criança

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)