Manicure sem riscos


Malu Echeverria
por: Malu Echeverria

Nunca tiro a cutícula quando vou ao salão de beleza. Não só porque a pele “sobe” e muitas vezes até inflama. Mas também porque, segundo os dermatologistas, a cutícula serve como uma camada de proteção contra vírus e bactérias na nossa corrente sanguínea. Claro que as unhas esmaltadas não ficam tão bonitas com aquela barreira de pele em volta delas. Então, para disfarçar, peço para a minha supermanicure e amiga Fran dar uma “empurradinha” e tirar o excesso de pele nas laterais.

Mas, afinal, qual é o risco? Segundo o infectologista Jean Carlo Gorinchteyn, do Hospital São Camilo, em São Paulo, esses micro-cortes na região da cutícula são porta de entrada para vírus como o da hepatite B, C e até mesmo do HIV (bem mais raro, já que ele sobrevive apenas por alguns segundos fora do corpo humano).

Aqui vão alguns cuidados que você pode tomar:

  • Se ainda não tomou vacina contra hepatite, providencie logo a sua e tire essa preocupação da frente. E procure se informar se as manicures do salão que você frequenta são vacinadas. Esse cuidado protege a saúde delas também!
  • Antes de a manicure começar, lave as mãos ou higienize-as com álcool gel. É também importante que a profissional atenda você com luvas descartáveis.
  • Todo o material usado pela manicure e/ou pedicure deve ser descartável: lixas, palitos e espátulas de madeira. “Os demais têm de ser esterilizados, de preferência, em autoclave (que é a mesma máquina usada em laboratórios)”, diz Gorinchteyn.
  • As toalhas precisam ser lavadas a cada uso. Na dúvida, leve o seu kit completo de casa.
  • Evite molhar mãos e pés em bacias, mesmo que sejam cobertos por plásticos. Isso porque elas são difíceis de esterilizar e você pode pegar até frieira (eca). Já os esmaltes podem ser compartilhados, segundo o especialista Gorinchteyn, pois dificilmente os vírus sobrevivem nas soluções ácidas contidas no produto.

Ir ao salão de beleza faz um bem danado. Mas não deixe de prestar atenção a esses detalhes de segurança na hora de escolher o local. Acredite, tem coisa bem pior do que bolinha no esmalte.

  • Malu Echeverria

    Jornalista, mãe do Gael e redatora-chefe do It Mãe. Para ela, é essencial colocar a máscara de oxigênio primeiro na gente, depois na criança

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)