Mãe de primeira viagem? Vale ler!


Daniela Folloni
por: Daniela Folloni
Jornalista fundadora e diretora de conteúdo do Portal It Mãe

Sou super a favor de que as mães de primeira viagem (ou até mesmo de segunda, terceira…) devorem livros sobre como cuidar do bebê. No mundo de hoje, fomos preparadas para tudo – enfrentar a concorrência no mercado de trabalho, morar sozinha, rodar o mundo com uma mochila nas costas, lidar com decepções amorosas… Mas, de verdade, ninguém preparou a gente para ser mãe (e nem acredito que isso se aprenda só na teoria). Nossas mães, como toda razão, estavam  focadas em nos dizer: “Filha, você tem que ter uma profissão, ser independente e ganhar seu dinheiro”. Mesmo que elas tentassem ensinar como ser mãe, não seriam muito ouvidas. Além do mais, tanta coisa mudou de quando éramos bebês (pense que as fraldas eram de pano e que as crianças eram transportadas no carro sem cinto de segurança) que até as novas avós precisam saber sobre o novo jeito de cuidar.

Existem muitos manuais, de várias linhas de pensamento (além de muitos blogs). Informação é o que não falta. Mas mais importante ainda do que ler é saber separar o que serve e o que não serve. O problema é que, às vezes, a gente acaba descobrindo que um jeito de cuidar não dá certo só depois que testa no bebê. Por exemplo, você conclui que deixar chorar no berço, como está recomendado em um livro, não funciona para ensinar seu filho largar a mamada da noite. Ou você descobre que o seu leite secou e não vai dar para amamentar até o bebê completar 2 anos como recomenda outro livro… E aí você tem que ir descobrindo o seu jeito de cuidar, separando o joio do trigo e estabelecendo o seu jeito de ser mãe.

Eu li muito antes de ter a minha primeira filha, a Isabela, e passei exatamente por esse processo de ir juntando informação com percepção e olhar atento às necessidades da minha filha. A opinião e orientação de uma pediatra alinhada com o meu jeito de ser (que se resume a uma mãe cuidadosa, mas sem ser neurótica, que trabalha muito e gosta de viajar com os filhos pra todo lugar) também foi essencial para me ajudar a cruzar esses primeiros anos como mãe. E quando veio o Felipe, tive que ajustar o radar mais uma vez, porque as necessidades de cada baby muda. O segundo também é um desafio, mas pelo menos você já está iniciada na vida de mãe!

Semana passada, chegou às minhas mãos mais um livro sobre como cuidar de bebês. Escrito pela pediatra Ana Escobar, o Boas-Vindas Bebê 1 (Principium) dá orientações do nascimento aos três meses do bebê. Dei uma boa lida e posso dizer que é a leitura que mais recomendo para as mães hoje. Já tive oportunidade de ver a dra. Ana falar em palestras da revista Crescer (onde é colunista). Além de ser super competente e atualizada, ela conhece muito bem a rotina das mães modernas e sabe exatamente o que precisa passar para elas tanto em relação a orientações práticas sobre o desenvolvimento do bebê, cuidados de higiene, amamentação, sono, além de dúvidas comuns, como se pode ou não pode voltar a congelar o leite materno que foi descongelado (não pode!) como também em relação ao comportamento dos pais. Adorei o texto em que ela dá um recado para os papais de primeira viagem, falando sobre o importante papel deles nessa nova fase. E tem outro ótimo também sobre o papel dos avós. E dra Ana, que também é consultora do programa Bem Estar da TV Globo e professora livre-docente do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da USP, não vai parar nos três meses. Estão previstos para breve os lançamentos de Boas-Vindas Bebê 2 e 3. A coleção toda dá orientações para pais de crianças até 5 anos. Super recomendo!

  • Daniela Folloni

    Jornalista, mãe de Isabela e Felipe, trabalhou nas revistas Vogue, Cosmopolitan e Claudia. Acredita que toda mãe merece sucesso, diversão, romance e oito horas de sono

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)