A nova versão do livro do bebê


Natália Folloni
por: Natália Folloni

Ver as mais variadas informações sobre os filhos de outras pessoas nas redes sociais é muito comum hoje em dia. As mamães e papais corujas fazem questão de postar fotos, textos e vídeos de seus pequenos para registrar e compartilhar com os amigos suas novidades.

Bem diferente da realidade virtual do presente é o livrinho de bebê das décadas de 1980 e 1990. Nele, os pais ilustravam e escreviam sobre tudo que dizia respeito ao desenvolvimento e aprendizagem dos filhos – dados que deixaram as páginas para irem às telas de computadores, celulares e tablets. Aí bate uma nostalgia daquelas.

Mas será que esses livrinhos tão bonitos e divertidos caíram em total desuso com o advento da internet? A resposta é não!

O Dia das Mães vem aí e a editora Casa da Palavra lança uma nova versão do livro, com o título Mãe (De Para). No livrinho de bebê, é possível fazer suas anotações junto com o filhos, deixando um pouco de lado a vida virtual. E, quando estiver terminado, a família poderá consultar suas memórias transformadas em palavras e imagens sempre que quiser.

Podendo ser passado de geração em geração, ainda mais por ter sido feito com tanto carinho – por meio de lembranças boas e colecionáveis –, o livro faz o papel de uma caixa de recordações que sempre podem ganhar algum complemento, de acordo com a vontade de quem o tiver em mãos.

As autoras Sibelle Pedral e Ana Astiz fazem um trabalho criativo e sensível ao propor que, por exemplo, as mães anotem  o momento em que descobriram a gravidez, a trilha sonora da gravidez, as músicas e os filmes que ele gosta de ouvir e assistir e o incentivo às brincadeiras não virtuais, como jogos de tabuleiro e mímica. Adoramos!

  • Natália Folloni

    Nossa repórter adora crianças e acredita que uma mulher pode ser a melhor mãe do mundo sem abrir mão de sentir-se linda e realizada

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)