Viagem com crianças: 4 dicas para fazer as malas


Claudine Blanco
por: Claudine Blanco

mala mulher

Atenção: o peso permitido por bagagem pode variar de acordo com a companhia aérea (Foto: CrayonStock)

A viagem com as crianças está se aproximando? Mesmo para famílias que estão acostumadas a viajar, é natural que algumas dúvidas possam surgir. Por isso, sempre aconselho nossos clientes de acordo com o destino e a logística da viagem. Claro que as regras das companhias aéreas, assim como as necessidades da família variam muito. Mas de modo geral, vale a pena prestar atenção nos detalhes a seguir!

1) O que levar na bagagem de mão
Leve com você os aperitivos preferidos dos pequenos para dar a eles em caso de fome em voos muito longos ou com conexões. Papinhas e sucos devem estar sempre lacrados e não ultrapassar a quantidade de 100 ml (prevista nas normas de segurança para viagens de avião). Nesse caso, só são permitidos produtos industrializados e fechados. Para os bebês, dá para levar a mamadeira com o leite em pó e pedir aos comissários um pouco de água quente. Recomendo carregar ainda na bagagem de mão duas mudas de roupa para os menores de 3 anos, em caso de acidentes. E para os que ainda não saíram das fraldas, tenha a mão algumas unidades extras. Se desejar ainda é válido levar um analgésico ou remédio para enjoo a bordo.

2) Vale identificar as malas — e as crianças!
Aeroportos e hotéis são espaços complexos e cheios de funcionários. Em alta temporada, devido a grande quantidade de passageiros, pode acontecer alguma confusão e sua bagagem ser extraviada. Até mesmo com tanta informação ao redor, você pode trocar sua própria mala com a de outro passageiro ou perdê-la. Por isso, é importante identificá-la com seu nome ou até uma fita colorida, assim é mais fácil recuperá-la e reconhecê-la na esteira de bagagens, por exemplo. Principalmente em países estrangeiros, por conta do idioma diferente, é importante identificar as crianças com, no mínimo, o seu nome, o nome do responsável e o telefone para contato — você pode usar crachá, pulseira, etiqueta para roupas e até tatuagens temporárias (há modelos como se fosse uma etiqueta de verdade). Se possível, informe também o nome e o endereço do hotel e o país de residência. Assim, caso elas se percam, fica mais fácil encontrá-las.

3) Atenção ao excesso de peso das bagagens
A famosa franquia de bagagem é uma das maiores preocupações de passageiros do mundo todo, afinal, nem todos estão dispostos a pagar pelo excesso de bagagem, que varia entre as companhias aéreas. Geralmente o peso máximo permitido em voos nacionais é de 23 kg por pessoa. Já em internacionais, no geral, o máximo é de 32 kg por cada passageiro e 10 kg por crianças que não ocupam assento. Esteja atento a conexões, pois em voos internos (domésticos) normalmente a franquia é reduzida para 20 kg por pessoa. Estas regras variam de acordo com a classe em que os passageiros estão (a classe excecutiva, por exemplo, permite mais bagagem) e devem ser confirmadas diretamente com a companhia aérea.

4) Não se esqueça de levar uma farmacinha
Imprevistos acontecem, por isso, sempre informo nosso clientes sobre a necessidade de levar uma pequena nécessaire com os principais remédios que as crianças costumam tomar, em caso de emergências. Pois, dependendo do país, não é possível comprar medicamentos sem a receita médica. Peça ao pediatra uma receita dos principais remédios que a criança esta habituada a tomar e monte uma “farmacinha” para levar na bagagem.

Agora é só arrumar as malas e boa viagem!

 

viajar-com-crianças-logo

  • Claudine Blanco

    Mãe de dois e empresária da área de turismo há mais de uma década, já visitou mais de 30 países. É proprietária da agência Viajar com Crianças, especializada em viagens em família, onde uniu suas duas maiores paixões, ser mãe e viajar

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)