Olheiras: como tratar e tirar o ar “cansado” do rosto


Dra. Carla Bortoloto
por: Dra. Carla Bortoloto
Médica especializada em dermatologia clínica e cirúrgica

Você sabia que olheiras não são todas iguais? Cada causa dá a essas manchas colorações diferentes – e exige tratamentos específicos (foto: 123 TRF)

 
Sem dúvida, as olheiras estão entre as principais queixas nos consultórios. Pudera: elas dão ao rosto um ar – demasiadamente e desnecessariamente – cansado, envelhecido e desanimado. As mulheres de pele morena têm maior tendência em apresentar o problema, mas não são as únicas a sofrer com elas. Hereditariedade, envelhecimento cutâneo, flacidez de pálpebras e rinite alérgica, estão entre suas principais causas.  Entretanto, a má alimentação, o estresse, a insônia (alguém se identifica?) e a chegada do período pré-menstrual, costumam agravar o problema.

A boa notícia é que existem tratamentos capazes de ser amenizá-las, ou até mesmo eliminá-las. Explico a seguir:

Em primeiro lugar, vale saber que olheiras não são todas iguais. Cada causa dá a essas manchas colorações diferentes; e exige tratamentos específicos.

Olheiras de tonalidade arroxeada ou azulada  São mais comuns em pessoas de pele clara, ou que apresentem problemas alérgicos, como rinites e sinusites – têm sua origem no aumento de vasos sanguíneos na região próxima aos olhos. Como a pele dessa região é mais fina e “transparente”, qualquer alteração vascular se evidencia. Além disso, uma alimentação rica em sódio, tabagismo e a insônia também podem contribuir para o surgimento desse tipo de olheira.

Tratamentos mais indicados: luz pulsada, laser, dermocosméticos com cafeína e drenagem linfática.

Olheiras amarronzadas São formadas pelo depósito de dois tipos de pigmento na pele: a hemossiderina (proveniente do ferro do sangue) e a melanina (sintetizada pelos melanócitos responsáveis por dar cor à pele). Elas são mais comuns em pessoas com pele mais escura, ou de algumas etnias, como árabes e indianos, mas também podem aparecer em pessoas de pele mais clara. O atrito (ao coçar os olhos) e excesso de sol podem agravar o problema.

Tratamentos mais indicados: peelings, laser, e dermocosméticos despigmentantes.

Olheiras profundas São aquelas que surgem devido ao aprofundamento da cavidade ocular (por causa genética ou óssea), criando uma sombra. 

Tratamentos mais indicados: preenchimento com ácido hialurônico, desde que não exista bolsas e gordura abaixo dos olhos. Ademais, muitas dessas olheiras são mistas, apresentando componentes tanto pigmentar quanto vascular, por isso o preenchimento deve ser associado a tratamentos com dermocosméticos.

Como tratar em casa?

Você pode usar cosméticos específicos para a área dos olhos, com ativos como ácido tioglicólico, alfa-arbutin, cafeína, ginkgo biloba e as K1 e E.

Além disso, quem sofre com as olheiras de padrão vascular pode aplicar compressas de chá de camomila gelado sobre a região. Rica em flavonoides, a bebida atua como anti-inflamatório e antioxidante, clareando a pele. E, pelo fato de estar gelado, diminui o aporte sanguíneo para a área dos olhos, reduzindo o “componente vascular” responsável pela formação dessas olheiras.
 
 
  • Dra. Carla Bortoloto

    Médica especializada em dermatologia clínica e cirúrgica, Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Clínico Cirúrgica (SBDCC), ela acredita no papel fundamental das mães em passar aos filhos a importância dos cuidados com a pele, cabelo e unhas

Data da postagem: 3 de abril de 2019

Tags: ,

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)