Espinhas depois dos 30, como assim?


Dra. Carla Bortoloto
por: Dra. Carla Bortoloto
Médica especializada em dermatologia clínica e cirúrgica

rosto_mulher

A acne tardia geralmente é causada por alterações hormonais (Foto: 13RF)

Acordar e se deparar com uma espinha no rosto bem no dia daquela festa não é exclusividade da adolescência. Muitas mulheres seguem encarando o problema na idade adulta. A acne é uma doença inflamatória ligada diretamente ao ciclo hormonal e que acomete rosto, pescoço, colo e costas, regiões com maior aglomeração de glândulas sebáceas. Em mulheres com idade entre 25 e 35 anos, o problema pode surgir (ou piorar) por causa de diversos fatores, como um aumento da sensibilidade da pele aos hormônios androgênicos (masculinos); disfunções ovarianas, como síndrome dos ovários policísticos e alterações nas glândulas suprarrenais (um período de grande estresse, por exemplo). Não é regra, mas as espinhas também podem aumentar durante a gravidez. Ocorre que com as intensas mudanças hormonais, metabólicas e vasculares pode haver uma hiperatividade das glândulas sebáceas nesse período. A boa notícia é que é possível se ver livre desse “pesadelo”. Dou algumas soluções a seguir, confira!

Não cutuque!     

Esse conselho “de mãe” é a melhor dica para evitar a piora no quadro da acne. Além de não tratá-la de forma correta, espremer a espinha pode agravar a inflamação e ainda causar uma cicatriz no local! O melhor caminho é consultar um dermatologista que irá indicar produtos com efeito antibacteriano e anti-inflamatório específicos para o seu caso.

Nada de dormir maquiada!

Outra dica que a gente escuta desde a adolescência e que vale muita a pena quando o assunto é prevenir e melhorar o quadro de espinhas. A maquiagem obstrui os poros, impedindo a regeneração celular durante o sono, favorecendo o surgimento das inflamações. Então, algodão e demaquilante já!

Evite esfoliar demais a pele

Apesar de parecer, em um primeiro momento, uma boa opção para se livrar da acne, o efeito do “tratamento” pode ser justamente o inverso. Ocorre que quanto mais se esfolia a pele, mais ela é estimulada a produzir sebo. Resultado: mais espinhas. Para peles acneicas, o ideal é esfoliar a pele apenas uma vez por semana.

Fique atenta ao período menstrual

Mulheres que apresentam acne durante o período menstrual ou ovulação devem procurar uma terapia hormonal associada ao anticoncepcional. Nesse caso, vale consultar o ginecologista também. 

Leia os rótulos dos cosméticos

Para a pele propensa à acne, os melhores produtos são aqueles em forma de sérum, gel, ou loção, que não possuem óleo em sua formulação. Além disso, vale buscar no rótulos de cremes e afins se os mesmos são hipoalergênicos e não comedogênicos, ou seja, que não causam irritação à pele e não obstruem os poros.

Sol na medida

Para evitar o surgimento das espinhas, evite o trio calor, suor e umidade do ar. Eles estimulam a atividade das glândulas sebáceas, levando ao agravamento do quadro de acne.

Cuidado com os suplementos

Medicamentos, como corticoides, anabolizantes e vitamina B12 em excesso, podem contribuir para o surgimento de espinhas. Além desses, alguns anticoncepcionais, especialmente os compostos apenas por progesterona, também podem agravar as inflamações da acne.

Mantenha uma alimentação equilibrada

Aquilo que colocamos no prato exerce um papel fundamental em nossa saúde. Com a pele isso não é diferente. Para se ver livre de espinhas deve-se evitar alimentos ricos em gordura e com alto índice glicêmico, como farinhas brancas, açúcares, mel, farinhas (milho e mandioca).  Eles estimulam a liberação rápida de insulina, aumentando a produção de gordura da pele.

Por outro lado, o consumo de verduras, legumes e frutas (cenoura, abóbora, manga, brócolis, couve, agrião, repolho, abacate, açaí), fibras (aveia, arroz, pão e massa integrais), peixes de água fria (atum, arenque, salmão, sardinha, bacalhau), sementes (linhaça, abóbora e chia) e castanha-do-pará, auxiliam a manutenção da saúde da pele.

Higienize corretamente objetos levados até o rosto

 Pode não parecer, mas as bactérias presentes nos óculos de sol, telefone celular e pincéis de maquiagem, penetram na pele pelos folículos pilosos, chegando até a glândula sebácea e causando a acne e a inflamação. Por isso, não se esqueça de manter esses objetos sempre higienizados.

OK, mas como tratar?

Além desses cuidados, alguns tratamentos também auxiliam no controle da produção de gordura pela pele e, consequentemente, da acne. Cremes à base de ácidos retinoico, glicólico e salicílico atuam de forma secativa na pele, além de ajudar em sua renovação e clareamento, enquanto os de ácido azelaico possuem ação antimicrobiana, reduzindo a oleosidade presente na superfície cutânea. Já lasers inibem a proliferação das bactérias causadoras da acne. Mas é importante lembrar que todos esses tratamentos devem ser prescritos pelo dermatologista, de forma individualizada.

  • Dra. Carla Bortoloto

    Médica especializada em Dermatologia clínica e cirúrgica, tricologista, professora da Pós-Graduação em Dermatologia das Faculdades BWS, Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Clínico Cirúrgica (SBDCC) e da American Academy of Dermatology (AAD)

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)