Balada sob medida para mães (e pais, claro)


Daniela Folloni
por: Daniela Folloni
Jornalista fundadora e diretora de conteúdo do Portal It Mãe
No começo da noite da Jazzy, show de jazz com projeções (foto: divulgação) No começo da noite da Jazzy, show de jazz com projeções (foto: divulgação)

 

Quando era solteira, saí muito com as amigas, viajei bastante, fui a muitas baladas. Depois que comecei a namorar e casei também curti demais.  Quando virei mãe, apesar de sentir o choque inicial de não poder fazer mais tudo o que eu quisesse na hora que quisesse (como li uma vez numa revista, depois que a gente vira mãe, nunca mais bate a porta e vai), não fiquei assim carente de noitadas. Até porque o meu ritmo de vida pós 30 anos já não é compatível com dormir de madrugada ou beber um pouco a mais. Fico péssima no dia seguinte, sem pique nenhum para para ficar com as crianças – e normalmente a babá vai embora cedinho no dia seguinte ou eles voltam da casa da avó antes do meio-dia. Acontece com você também?

Estou dizendo tudo isso para contar que, justamente por não ter mais um perfil de baladeira, mas adorar dar uma saidinha de vez em quando com o marido e os amigos, curti muito o meu “Momento Eu Mereço” em uma festa mensal que está dando o que falar em São Paulo, a Jazzy, idealizada por Guigo Lima. E o que mais me chamou atenção foi a proposta totalmente parents friendly. Quer saber por quê?

1- A festa tem como regra ser proibida para menores de 30 anos – o que faz com que o público seja maduro. Mas nem por isso careta. Encontramos uma galera cool de 30 a 45 anos. O resultado era um lugar em que facilmente ouvíamos nas rodinhas ao lado um casal  dizendo que deixou as crianças com a avó ou um recém-solteiro-de-novo contando que sobre a nova vida. Muita gente no mesmo barco – apesar de ter muitos solteiros e solteiras sem filhos com mais de 30 também – esse público tem aumentado!

Ao fundo, eu o maridon conferindo o selfie. Momentos assim a dois tem que registrar (foto: divulgação) Ao fundo, eu o maridon conferindo a selfie. Momentos assim a dois tem que registrar (foto: divulgação)

 

2- A festa começa às 18 horas. E isso é lindo, porque dá até para deixar as crianças com a tia ou avó e buscar na mesma noite. Nosso plano A era esse, mas foi ficando tão legal que aderimos ao plano B de deixar na casa da avó e ir buscar no dia seguinte. A balada, que acontece num espaço super bacana, chamado Studio Dama, em Pinheiros, começou com um show de jazz no lounge ao ar livre e depois virou uma balada com DJ. Mesmo aproveitando muito fomos embora às 23h30!

3- Tem um mix de música e artes plásticas muito bacana. Mais do que badalar, você ainda confere obras de arte de artistas da nova geração, descobre bandas de jazz ótimas e mais! Tipo balada 3 em 1. Otimizada mesmo.

 

Mais tarde, pista com DJ e músicas da nossa época  (foto: divulgação) Mais tarde, pista com DJ e músicas dos anos 90 (foto: divulgação)

 

Valeu tanto a pena que agora estamos espalhando a novidade para os amigos. Bora sair de casa e curtir um pouquinho! Esteja você casada ou de volta à vida das solteiras. A próxima (e última deste ano) acontece dia 06 de dezembro, sábado que vem, e terá o Marcelo Monteiro Sexteto, exposição do artista Samuel Kim, projeções de Elka Andrello e de Vinícius Luz. Para completar o menu de food truck está a cargo do chef Vanilla e tem de risoto de aspargos a hamburguer de shitake com quinoa.

Vai lá: Jazzy – Studio Dama – Rua Ferreira de Araújo, 1056, Pinheiros, São Paulo. Para colocar nome na lista, mande um e-mail via Grupo do Facebook

Valores: Com nome na lista: R$ 20,00 (Couvert)
Mulher sem nome na lista: R$ 30,00 (Couvert+Entrada)
Homem sem nome na lista: R$ 50,00 (Couvert+Entrada)

  • Daniela Folloni

    Jornalista, mãe de Isabela e Felipe, trabalhou nas revistas Vogue, Cosmopolitan e Claudia. Acredita que toda mãe merece sucesso, diversão, romance e oito horas de sono

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)