Mães felizes: como criar novos hábitos e melhorar sua qualidade de vida!


Lêda Zoéga Parolo
por: Lêda Zoéga Parolo
Psicóloga clínica com foco na psicologia positiva aliada à tradicional

 

Pense no seu dia-a-dia e faça uma pequena lista sobre si mesma. Coloque nela a sua rotina. Isso te ajudará a ter consciência do que realmente faz ou deixa de fazer. Talvez perceba que já faz coisas bacanas que não valoriza e outras que gostaria que fossem diferentes (foto: 123TRF)

“Nada mais curioso do que os hábitos. Quase ninguém sabe que os tem” (Agatha Christie). Muitas vezes é isso mesmo que acontece. O hábito faz tanto parte de nossa vida, por meio de comportamentos automáticos, de repetições frequentes, que muitas vezes nem nos damos conta. É uma maneira frequente de se comportar, é estar no “piloto automático”.

Se você parar para pensar, fará uma lista enorme dos seus hábitos. Eles surgem na nossa vida como uma tentativa do cérebro de se poupar. Quando um hábito surge, o cérebro pára de tomar decisões, e se poupa para ser usado para outra coisa. Um exemplo claro é quando aprendemos a dirigir, e devemos prestar atenção a todas as ações (embreagem, seta, breque…). Após um tempo, chegamos ao nosso destino sem nem pensar o caminho, nem sabendo como chegamos lá, não é mesmo? É muita informação no dia-a-dia! Então, criamos padrões para economizar o uso do cérebro.

Os hábitos podem ser bons ou ruins – e o cérebro não sabe a diferença entre os ruins (que nos seguram, dificultando o chegar à nossa meta) e os bons.

Mas podemos mudá-los e conforme o fazemos, mudamos nosso cérebro também. É a chamada neuroplasticidade do cérebro, e isso pode ser visto até nos exames de imagem, sabia? Novos hábitos podem ser cultivados e o que você já tem, revistos. Afinal, há coisas  que fazemos sem questioná-las. Não são decisões que tomamos, mas sim hábitos. 

Qualquer hora é hora de mudar, de fazer novas escolhas para a sua vida. Escolhas positivas!

Mudar hábitos pode parecer muito difícil, porque é preciso sair da zona de conforto. Isso às vezes dá até um pouco de medo do que pode nos causar, não é mesmo?

Acreditar que a mudança é possível e que a vida nova depende só de você, é fundamental. Então, se identificou que um hábito precisa ser mudado, faça em pequenos passos.

Não sei o que você gostaria de mudar, mas sei que o potencial para isso está aí dentro de você. Eis algumas orientações:

  1. Pense no seu dia-a-dia e faça uma pequena lista sobre si mesma. Coloque nela a sua rotina. Isso te ajudará a ter consciência do que realmente faz ou deixa de fazer. Talvez perceba que já faz coisas bacanas que não valoriza e outras que gostaria que fossem diferentes.
  2.  A gente sabe o que é preciso fazer para ter uma vida saudável. Sabemos, por exemplo, a importância de tomar água, mas o que você faz a respeito disso. Uma simples atitude, como deixar uma garrafa ou copo com água na sua mesa de trabalho, sempre à mão já ajuda a cultivar esse hábito de beber água. 
  3. Hoje muito se fala de meditação e do mindfulness, técnica de atenção plena como formas e melhorar seu foco e bem-estar. Um jeito de começar, é ficar em silêncio por alguns minutos todos os dias. Isso é possível, mesmo dentro da nossa correria diária. Procure um canto em sua casa, no trabalho, sente-se, respire, e fique apenas com você mesma. Quer ler um livro? Programe-se para ler um determinado número páginas por dia. Sua ideia é começar a correr? Comece caminhando.
  4. Mal do século (mas muito importante, eu sei): celulares. Estamos sempre conectados, e perdemos momentos importantes, não olhamos mais nos olhos das pessoas que convivem na mesma casa. Filhos, marido… Sugestão, desligue seu celular em momentos em que está com a família, num jantar, ou alguma outra situação importante para você. Esse é um hábito que todos deveríamos ter: desconectarmos por algum tempo.
  5. Talvez você esteja focando no “fazer”, nas tarefas a cumprir, nos filhos, na casa, numa infinidade de coisas, e esteja deixando de lado os relacionamentos. Mantenha contato com amigos, programe-se para telefonar (não é mandar mensagens) uma vez por semana, encontrar amigos uma vez por mês ou a cada dois meses… Se colocar como prioridade, vai conseguir.
  6. Planeje seu dia, sua semana, e coloque na sua agenda (ou planner), a mudança que quer que aconteça. A mudança deve ser feita na rotina. Visualizar a sua semana ajuda a ver onde está o que precisa ser feito.

As mudanças acontecem quando você tem metas e se organiza. É partir desse compromisso organizado consigo mesma que os hábitos, seu comportamento e sua vida mudam. Afinal, somos o resultado daquilo que fazemos todos os dias.

O que você vai escolher colocar na sua vida? E o que vai tirar? É você que escolhe como vai viver.

 

  • Lêda Zoéga Parolo

    Psicóloga clínica e mãe de Caio, tem foco na psicologia positiva aliada à psicologia tradicional. Com grande experiência na área clínica, atende crianças, adolescentes e adultos.

Data da postagem: 16 de janeiro de 2019

Tags: , , , ,

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)