Resiliência: como deixar sua vida mais positiva com ela


Lêda Zoéga Parolo
por: Lêda Zoéga Parolo

Fazer atividades que dão prazer ajuda a desenvolver a resiliência, essa capacidade de lidar de maneira positiva com os acontecimentos (foto: arquivo)

Mas o que é resiliência?

Podemos dizer que é ver que as coisas acontecem para você, e não com você. É acreditar que você, e não os fatos de sua vida, que impactam em seu sucesso. É crescer com os desafios.

Ou seja: é lidar de maneira positiva com qualquer coisa que a vida lhe trouxer.

Todos temos problemas, a vida não é sempre fácil, passamos por situações de stress diariamente, mas é possível encontrar sentido positivo em circunstâncias negativas e crescer com eles. As emoções negativas estreitam o pensamento

E por que é importante ser resiliente? Porque ser humano é estressante. Pessoas resilientes constroem mais efetivamente relacionamentos com outros e lidam melhor com a vida, relatam satisfação na vida e são capazes de se recuperar mais facilmente após experincias adversas, dentre outros motivos. A resiliência minimiza o efeito de situações negativas e estressantes, e nos permite encarar desafios.

E essas habilidades podem ser aplicadas em nossas vidas.

Dentre as várias “técnicas” para isso, podemos pensar

Ter bons relacionamentos Manter uma rede social, contato com a família, encontro com amigos, resgatar momentos bons e ter recordações olhando fotos…

Exercitar-se, cuidar de si mesma Fazer atividades que lhe deem prazer, pois o fato de cuidar de si, seja uma ginástica, uma manicure, contribuem para o nosso bem-estar e é um momento que tiramos para nós.

Acreditar num futuro positivo O otimista lida melhor com o stress, vê o que tem e o que quer, ao invés de se preocupar com o que teme. Que tal planejar a próxima viagem, o próximo fim-de-semana com amigos ou família, ou a próxima festa de aniversário que dará?

Concentrar-se no que pode mudar, e aceitar o que não pode Procurar sair de situações que não são boas para si, como quando deve buscar o filho na escola, muito trânsito, dificuldade para parar o carro. Que tal chegar 5 minutos depois ou relaxar, ver que não há opção e passar a encarar como um fato do dia, sem julga-lo se é bom ou ruim?

Falar sobre as emoções nos filmes, histórias, e em seu dia a dia com as pessoas próximas Nós, mães, muitas vezes queremos dividir o que sentimos com os outros, mas à noite chega o marido, ou você chega em casa cansada, e acaba não falando o que sente por vários motivos. O que você pode mudar nisso? Quem sabe se permitir fazer uma ligação a uma amiga, ver um filme com seu companheiro e falar como se sentiria ou se sente dentro daquela determinada situação mostrada…

Ter metas, ter perspectivas Ser realista, e pensar também no futuro, não só no problema desse momento, fazer algo regularmente – o que posso fazer hoje, mesmo que pequeno, que me leva mais perto do que quero? Aqui entra a parte do otimista de novo. Ter metas nos dá coragem e ânimo para enfrentar o que temos hoje, imaginando algo que queremos e que podemos mudar ou superar. É viajar? Mudar de casa? Mudar de emprego? Qual o seu desejo?

Melhorar suas emoções positivas Ter boa visão de si mesma, confiar em seus instintos e habilidades para resolver problemas, confiar em si, seguir seus instintos – Um bom exercício é escrever ou pensar em 3 coisas positivas que aconteceram no dia – explorar (o que gostaria de fazer diferente, de conhecer?), saborear os momentos (tomar um café e realmente saborea-lo, estar inteira no que estiver fazendo).

O que você está fazendo para desenvolver a sua?

 

  • Lêda Zoéga Parolo

    Psicóloga clínica e mãe de Caio, tem foco na psicologia positiva aliada à psicologia tradicional. É coach de saúde e bem-estar e ajuda a despertar motivações e a desenvolver percepções de auto-eficácia

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)