5 dicas para criar um filho responsável


Débora Lublinski
por: Débora Lublinski

As crianças adoram ajudar nas compras! (foto: Daniela Folloni)

Seu filho pode e deve ajudar você nas tarefas do dia a dia desde cedo (Foto: It Mãe)

Responsabilidade pode parecer uma palavrinha muito comprida para uma criança pequena. Verdade! Talvez ela não entenda o significado agora, mas é desde cedo que os pais devem estimular o filho a adotar um comportamento responsável, ou seja, cuidar de si mesmo, dos seus pertences e o do ambiente em que vive ou está inserido. Como? Siga estes cinco passos.

Estimule a autonomia

Parece óbvio, mas na correria do dia a dia, não damos espaço para a criança aprender a realizar pequenas tarefas sozinhas — sim, às vezes é mais rápido a mãe fazer tudo num vapt-vupt! “Ensinar dá trabalho, mas cria filhos que compreendem o motivo de seguir os ensinamentos dos pais”, diz a terapeuta familiar Roberta Palermo, de São Paulo. Arrumar os brinquedos, vestir as meias, pendurar a toalha no banheiro, pentear o cabelo, entre muitas outras missões de acordo com a idade do seu filho, estimulam a autoconfiança. E, ao se sentir capaz, ele assume a responsabilidade daquela tarefa.

Divida as tarefas entre todos

Quando todos colaboram fica mais claro perceber a importância do seu próprio papel. Por isso, em casa, a família inteira deve dividir o trabalho ou, pelo menos, cada um precisa ter suas própria tarefa — de acordo com a idade, claro. Além da noção de responsabilidade, outros conceitos importantes estão sendo transmitidos, como o de coletividade: todos trabalham e se ajudam para atingir o mesmo objetivo.

Estabeleça metas claras

É fácil as crianças se dispersarem enquanto realizam uma tarefa. “Quem nunca pediu para o filho guardar os brinquedos e, quando viu, ele já estava imerso em uma nova brincadeira?”, lembra Roberta Palermo. Para ajudar os pequenos, trace “submetas”, estabelecendo passos menores, para que ele não se perca no meio do caminho. Por exemplo: juntar todos os brinquedos espalhados pela casa no mesmo cômodo, colocá-los dentro da caixa e especificar qual a caixa, guardar a caixa em determinado local e por aí vai. E não espere que ele vá acertar de primeira (ou todas as vezes). Faz parte ensinar de novo e de novo e de novo…

Dê o exemplo

Os filhos são reflexo do ambiente onde vivem. Se espelham nos pais. Portanto, não adianta pedir ou mandar, se você mesma não dá o exemplo. “Se os sapatos ficam espalhados pela casa, esse será o modelo apresentado”, fala Roberta Palermo. Outra coisa importante: é fundamental que os pais participem das atividades de cuidados do dia a dia, como a troca de fralda, o banho e a alimentação — não devem delegar tudo à babá. “É comum que essas tarefas sejam vistas como menos importantes. Mas nesses momentos, os pais têm a oportunidade de transmitir valores que acreditam ser importantes para a formação de um adulto com maturidade”, acredita Roberta.

Reconheça

A criança fez um bom trabalho? Valorize! “É sempre bacana elogiar, mostrar que ela é capaz”, sugere Roberta. Mas atenção: não é necessário recompensá-la. O ganho aqui é a sensação de dever cumprido e a própria conquista da autonomia — e não um brinquedo novo, um doce depois do jantar, mais uma horinha de jogo no Ipad, etc, etc. Fique de olho para não cair nessa cilada! 

  • Débora Lublinski

    Jornalista e mãe da Marina, Débora Lublinski trabalhou por 15 anos em revista feminina cobrindo beleza, saúde e bem-estar. Mas não vive apenas de glamour e sabe bem o malabarismo que é se cuidar sem descuidar dos filhos, da casa, do casamento e da carreira

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)