Praia com crianças: veja que cuidados tomar


Vanessa Radonsky
por: Vanessa Radonsky
Pediatra do Fleury Medicina e Saúde

 family-at-the-beach-1358750-639x388

O protetor solar tem de ser reaplicado após os mergulhos, não se esqueça (Foto: Freeimages)

O verão está chegando! Ir à praia com os pequenos faz parte da diversão, mas também pode causar preocupação entre os pais. Para curtir esse momento em família sem stress, na minha coluna de estreia no It Mãe, reuni 4 dicas sobre os cuidados que você deve tomar nesse período. Boas férias!

O que comer
Estabelecer um horário para as refeições é de fundamental, mesmo durante as férias, começando por um bom café da manhã. Afinal, um dos motivos pelos quais as crianças ganham peso no verão diz respeito às mudanças na rotina. O outro seria uma maior ingestão de alimentos industrializados, já que muitas famílias substituem o almoço e o jantar por guloseimas e fast-foods nessa época. Por isso, se preferir levar alimentos à praia, faça escolhas saudáveis (frutas, snacks integrais, etc.). Mas se for comprar comida por ali mesmo, evite sanduíches com maionese, pratos com camarão e empadas, por conta do alto risco de contaminação por bactérias que provocam infecção intestinal. A regra, de modo geral, é não consumir alimentos perecíveis que ficam expostos à temperatura ambiente.

O que beber
No verão, é importante que as crianças bebam muita água, assim como água de coco e sucos de frutas (se possível, sem açúcar). Mas também dá para aumentar a hidratação por meio do consumo de frutas, como melão, laranja e melancia, por exemplo, que além de tudo são fonte de vitaminas, fibras e minerais. Lembre-se que não devemos esperar que a criança peça água, porque quando ela sente sede, já pode estar desidratada! Quanto mais novo o seu filho, maior deve ser o cuidado com a hidratação – já que os pequenos se desidratam com mais rapidez. Uma das maneiras de avaliar se a criança está precisando de mais água é observar a cor da urina e a frequência com que ela faz xixi. A cor escura e o pouco volume podem ser sinais de falta de ingestão de água.

Atenção ao sol
O fator de proteção solar (FPS) indicado para crianças é sempre acima de 30 e, caso a pele seja muito clara, o melhor é optar por um produto com FPS maior do que 40. A forma de aplicar o protetor na pele também é importante: passe 30 minutos antes de sair de casa e se expor ao sol. Esse tempo é necessário para o produto penetrar na pele e protegê-la. Reaplique-o a cada duas horas, já que as crianças costumam transpirar muito. Caso decidam brincar na água, a reaplicação deve ser feita também após os banhos de mar.

O protetor ideal é aquele que bloqueia tanto os raios UVA como os UVB. É fundamental escolher um produto específico para crianças, levando em consideração a idade delas, pois isso ajuda a evitar que algumas substâncias irritem a pele sensível do bebê. Lembrando que o filtro solar infantil deve ser usado somente a partir dos 6 meses e, pelo menos, até os 12 anos de idade, ok? O indicado para os menores de seis meses é sombra com camisetas e chapéu. Esse cuidado, aliás, vale para todas as idades. Bonés nem sempre são boas opções porque não cobrem a nuca nem as orelhas. A partir do oitavo mês, também se recomenda o uso óculos de sol. E, não custa lembrar, o melhor horário para ir à praia com crianças é antes das 10h e depois das 17h. Tudo isso serve para protegê-lo não apenas de queimaduras, mas também de problemas futuros: diversos estudos têm mostrado relação entre exposição solar inadequada na infância e câncer de pele na vida adulta.


Supervisão sempre

O mar é ao mesmo tempo uma grande diversão para as crianças e uma fonte de dor de cabeça para os pais. Os pequenos não costumam se sentir ameaçados pela imensidão do mar, você sabe. Por isso, as crianças não devem entrar sozinhas no mar, mesmo quando ele parece uma piscina. Buracos e correntezas podem pegá-la desprevenida, mesmo as que sabem nadar. Para os menores, a solução é colocar uma piscininha com água perto de onde você está e, de preferência, embaixo do guarda-sol. Já as crianças que brincar no mar devem, de preferência, usar boias ou coletes salva-vidas, sempre acompanhadas dos pais ou outros adultos. Mesmo quando elas estiverem brincando na beira d’água, fique por perto!

  • Vanessa Radonsky

    Pediatra do Fleury Medicina e Saúde, tem especialização em Endocrinologia Pediátrica pelo Instituto da Criança – HCFMUSP e é pós-graduanda em Endocrinologia e Metabolismo Ósseo pela UNIFESP. É mãe da Letícia e da Beatriz.

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)