Medo de dentista? Dá para evitar, sim!

Quer saber o que fazer para que seu filho não sofra toda vez que precisar sentar na cadeira do odontologista? Nossa colunista, a odontopediatra Simone Cesar dá as orientações


Simone Cesar
por: Simone Cesar
Odontopediatra e ortodontista na Clínica Cesar. Autora do Insta @dentistamusical e do canal no You Tube Dentista Musical

Habituar seu filho a ir ao odontopediatra desde cedo é uma forma de evitar que ele desenvolva medo de dentista (foto: divulgação)

O medo de dentista é um dos transtornos reconhecidos pela Organização Mundial da Saúde. Ela afirma que, pelo menos 15% da população de um país sofre com esse problema. Aqui, algumas dicas para que seu filho não sofra toda vez que precisar sentar passar por uma consulta.

1- Leve seu filho ao dentista desde cedo

A melhor solução para que as crianças não tenham medo de ir ao dentista é habituando-as a fazer o tratamento desde pequenas. O momento ideal para começar a levar a criança ao dentista é desde bebê, a partir do nascimento do primeiro dente de leite. O acompanhamento com o odontopediatra ajuda a prevenir muitos problemas. E pode colaborar com as orientações para manter uma boa higiene bucal.

Além disso, se os primeiros contatos com o dentista forem apenas para tratamentos leves, dificilmente a criança vinculará a imagem do dentista ao desconforto. Já quando ela é levada somente em situações mais graves, como quando estão com dor, por exemplo, o dentista não terá como evitar o motorzinho ou outros procedimentos que podem ser desconfortáveis. Isso pode levar a criança a acreditar que todas as vezes que ela for ao consultório terá de passar por essas situações.

E mais: quando o bebê tem de 1 a 2 anos, seu círculo social é menor e inclui basicamente a família. Nessa fase, a influência dos pais é maior. Ainda não há os amigos da escola para contar histórias negativas relacionadas ao dentista. Ouvir algum relato de dor ou sofrimento pode deixar a criança com medo, antes mesmo de ela conhecer o consultório.

2- Procure um profissional especializado em crianças

Para driblar o medo de dentista, você precisa procurar por um profissional especializado e que saiba lidar com crianças — o odontopediatra é o especialista ideal para o atendimento infantil. Isso porque, em sua formação, ele aprendeu diversas técnicas para lidar com os pequenos no consultório — entre elas, o “falar, mostrar e fazer”, que elimina o medo do desconhecido. Isso fará toda a diferença: o tempo reservado ao seu filho será maior, já prevendo a necessidade de uma abordagem mais cuidadosa e lenta. Ele apresenta todos os instrumentos que serão utilizados e explicara os procedimentos à criança, que se sentirá parte importante do atendimento. Se o seu filho tiver medo do motor, por exemplo, o odontopediatra mostrará nas mãos dele como o equipamento com baixa rotação funciona e, com a sensação de cócegas, ele poderá achar divertido sentir o tremor no dentinhos quando a ferramenta entrar em contato com a boca.

Outra técnica também amplamente utilizada é a recompensa por bom comportamento. O profissional oferecerá escovas dentais, brinquedos e outros brindes simples, mas que proporcionam grande felicidade aos pequenos.

 

3- Em casa, fale sobre a importância de ter dentes saudáveis

Em casa, a dica para os pais é de sempre destacar a importância de cuidar da boca e de ter dentes saudáveis, introduzir o papel do dentista ao conhecimento da criança com brincadeiras, escovando os dentes de bonecos, por exemplo, ou brincando de ser dentista, o que vai estimular a curiosidade dos pequenos. Também é bacana procurar algum livro infantil que fale sobre o assunto.

4- Faça uma visita prévia ao odontopediatra 

Os pais ou responsáveis podem fazer uma visita prévia ao consultório para conhecer o lugar onde vão levar a criança. “O profissional pode tornar o consultório com menos ‘cara’ de consultório, fazendo uma decoração própria para crianças, com cores alegres. O local pode ter brinquedos variados para diferentes idades, bichinhos de pelúcia, musicas, personagens prediletos e etc…

5- Não transfira o seu medo para seu filho

Agora, muita atenção….

Pais que têm medo de dentista costumam transferir esse medo aos filhos, muitas vezes mesmo sem querer. Frases como ‘não vai doer nada’ e ‘não precisa ter medo’ já servem como gatilho para a criança. Alguns pais também usam o dentista como punição: ‘o dentista vai lhe dar uma injeção enorme se você não se comportar’. “É uma inversão total do significado da atenção odontológica, que visa cuidar, e não punir”.

 

6- Não associe ir ao dentista a castigo

E uma dica fundamental: nunca associe a consulta a castigo ou ameaça, por exemplo. Nada de dizer: “Se você não se acalmar, vou levá-lo para o consultório!”. Nem prometa algo previamente: “Caso você se comporte no dentista hoje, vai ganhar presente!”. Seu filho precisa entender que é uma experiência necessária, que só fará bem a ele. E ainda pode ser divertida!

Simone Cesar

 

  • Simone Cesar

    Odontopediatra e ortodontista, mãe de Caio, 9, e Alice, 7. Acredita que criança não precisa ter medo de dentista! É autora do Instagram @dentistamusical onde posta vídeos divertidos que faz com seus mini pacientes e do canal no You Tube Dentista Musical

Data da postagem: 22 de julho de 2019

Tags: , , , , ,

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)