O que o seu filho aprende quando brinca


Isabel Malzoni
por: Isabel Malzoni

menino_brincar_carrinho

É por meio da brincadeira que a criança conhece a si e ao mundo (Foto: 123RF)

De 22 a 28 de maio, acontece a Semana Mundial do Brincar, mobilização que reúne pais, educadores, instituições privadas e governamentais, entre outras pessoas, para realizar um conjunto de ações com o intuito de ressaltar a importância do brincar. Mas por que o gesto é tão relevante assim, a ponto de mobilizar diferentes setores da sociedade? “É por meio da brincadeira que a criança conhece a si e ao mundo”, explica a pedagoga e coordenadora do Laboratório de Brinquedos da Faculdade de Educação da PUC-SP, Maria Ângela Barbato Carneiro. “A brincadeira é a linguagem da criança. Simples assim. É também ‘a’ ferramenta dela para crescer e se desenvolver com equilíbrio”, completa a publicitária Patrícia Marinho, autora do site Tempo Junto, no qual ela explora e compartilha as tantas brincadeiras possíveis para pais e filhos fazerem juntos.

No entanto, uma pesquisa realizada pela Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, que promove a articulação de ideias e a disseminação de conhecimento sobre a infância, apontou que apenas 19% dos pais entendem a brincadeira como importante para o desenvolvimento da criança, enquanto 55% acredita que colocar os pequenos para ver desenhos animados é uma atitude que estimula o desenvolvimento – e o número é igualmente baixo em todas as regiões do país e níveis de escolaridade. “Ou, então, muitas vezes os pais entendem o brincar como importante, mas não sabem exatamente para quê”, acredita Maria Ângela.

Os pais também se culpam por não ter muito tempo para brincar, de acordo com a especialista, e acabam tentando suprir isso comprando brinquedos. Some-se a isso as agendas lotadas das crianças e a falta de repertório de brincadeiras dos pais e demais adultos de referências, e temos crianças que brincam muito menos do que poderiam. É por isso que estamos aproveitando a deixa da Semana Mundial do Brincar para chamar a atenção sobre algumas das tantas coisas que ele aprende enquanto “apenas” brinca.

1) Conhecer a si e ao mundo

“A criança, enquanto brinca, se movimenta, olha, cheira, sente. Isso faz com que ela conheça os objetos e os espaços e, assim, comece a formar conceitos. Ou seja, ela percebe e entende o que é mais alto, mais baixo, o que quebra. Ela desenvolve os conceitos de ir e vir, de lateralidade, de espaço…”, explica Maria Ângela.

2) Formar as bases da comunicação

Por meio das brincadeiras formam-se nas crianças as imagens de representatividades mentais, que geram os símbolos tão importantes para a comunicação. Ou seja, é assim que aprendemos a nos referir a uma flor não apenas com o objeto em si em mãos, mas por meio de desenhos, outros objetos e, mais para frente, com a escrita da palavra “flor”.

3) Socializar

É brincando junto, seja com adultos ou outras crianças, que se aprende as regras e a conviver. Esse aprendizado se dá desde bem pequeno, mas fica mais intenso após os cinco anos, quando as brincadeiras passam a ser mais estruturadas e ganham regras.

4) Lidar com as emoções

“O desenvolvimento se dá em quatro pilares importantes: cognitivo e motor, que são os mais falados, e também social e emocional. Brincar é o que faz com que esse desenvolvimento aconteça de forma equilibrada”, explica Patrícia. “Do ponto de vista das emoções, as brincadeiras podem ensinar a criança a ter paciência, como é o caso dos jogos de tabuleiro e do simples plantar de um feijão, e também a exercitar a empatia. E esses são só alguns exemplos”, diz ainda. “É por meio dos faz-de-conta que as crianças elaboram os próprios sentimentos e lidam com os problemas. Você vai ver uma criança brincando de vilão e matando os bandidos. Ela sabe que não vai matar de verdade, que ‘é brincadeira’, mas assim ela trabalha questões que precisa entender”, diz Maria Ângela.

5) Ser criativo

Essa qualidade é uma das consequências mais conhecidas do brincar. Mas é tão importante e garante ganhos para toda a vida, que não podia ser deixada de lado. Não há provavelmente nada melhor para estimular a criatividade do que a fantasia e o faz-de-conta porque o brincar expande os horizontes das possibilidades e da imaginação.

  • Isabel Malzoni

    É jornalista e sócia da Editora Caixote, que publica livros infantis interativos, como Pequenos Grandes Contos de Verdade, finalista do Prêmio Jabuti. Mãe de Diego, divide-se entre os cuidados com o bebê, descobertas culinárias e muitos, muitos textos Isabel Malzoni é

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)