Ciúme do irmãozinho? Resolva aqui!


Maria Carolina Signorelli
por: Maria Carolina Signorelli
Psicóloga de crianças e adolescentes

“Mamãe, eu queria que meu irmãozinho voltasse a morar na sua barriga!” O que fazer quando o ciúme aparece? Em meu dia-a-dia no consultório, frequentemente lido com questões que envolvem o ciúme entre irmãos. Vejo muitos pais preocupados com a reação do filho mais velho, diante do nascimento do irmãozinho. Sempre gosto de destacar que quando as relações humanas estão em jogo, não temos como fazer previsões e nem generalizações. Cada indivíduo lida de um jeito único com as situações.

Algumas crianças sentem mais este momento, sendo comum apresentarem alguns “sintomas”, como por exemplo, comportamentos que costumamos chamar de regredidos (desejo de usar chupeta, fazer “xixi” na calça, voltar a falar como bebê, etc). Em casos extremos, quando os sintomas persistem, é importante recorrer à ajuda de especialistas. Porém, na grande maioria das vezes, estes sintomas são passageiros e fazem parte do processo de elaboração da criança, que se percebe frente a um novo desafio: o de reconstruir seu lugar nesta nova dinâmica familiar.

Meu objetivo aqui não é esgotar o assunto, mas promover algumas reflexões. É muito importante que os pais auxiliem o filho a desenvolver recursos emocionais para lidar com os próprios sentimentos.

Assim como em qualquer outro relacionamento de nossas vidas, a convivência entre irmãos desperta sentimentos ambivalentes. Quem nunca disse algo semelhante a: “Eu amo meu marido, mas fiquei muito brava pelo fato dele ter esquecido a data do nosso aniversário de casamento”? E caso você não tenha dito isto, muito provavelmente já ouviu de uma amiga, algo bem parecido! Pois é… Relacionamentos são assim, bastante complexos…

Venho observando que as pessoas têm idealizado demais as relações. Tenho escutado com certa freqüência, pais dizendo aos filhos mais velhos, frases como: “Vamos te dar um irmãozinho e você ganhará um amiguinho para poder brincar!”. Ok, lindo na teoria, mas amigos também têm os seus momentos de desentendimento. Brigam e nem sempre querem brincar juntos, não é mesmo? No relacionamento entre os irmãos, não é diferente. E tudo bem. A convivência entre irmãos costuma ser um “laboratório” muito rico, onde importantes experiências podem ser vivenciadas: a de dividir espaços, atenção, brinquedos, opiniões. Enfim, aprender a compartilhar, respeitar e conviver com as diferenças!

É natural que o filho mais velho manifeste certa insatisfação frente à chegada do novo bebê. O primeiro filho experimentou um lugar exclusivo, que deixou de existir com o nascimento do irmãozinho. E aceitar esta nova realidade requer tempo e elaboração. Não costuma ser fácil!  Como você pode ajudar seu filho? Aqui vão algumas sugestões:

  • Nunca “force” a convivência do filho mais velho com o novo bebê. O vínculo precisa ser construído genuinamente.
  • Pode ser interessante reforçar algumas coisas que o filho mais velho já consegue fazer. Alguns exemplos: “Você já pode ir à escola”, ou “Você já pode brincar de algumas coisas que um bebezinho não pode”. Porém, cuidado para não transformar o lugar do mais velho, em algo “pesado”. Ele pode, sim, ajudar a cuidar do irmão mais novo, mas não precisa. Permita que ele “ajude” se tiver vontade. É importante que ele sinta que também pode ser filho e que continuará recebendo os cuidados dos quais necessita.
  • Gosto sempre de orientar os pais a confiarem na sua sensibilidade e intuição. Acolham com carinho os sentimentos do primogênito. Desta forma, ele se sentirá seguro e fortalecido para aprender a lidar com as situações que lhe causam ansiedade e frustração.
  • Preservar alguns momentos exclusivos com o filho mais velho costuma ser um recurso interessante. Isto o ajuda a perceber que ainda é muito amado e que seu lugar na família está preservado. Ao dar espaço para que seu filho manifeste o que o incomoda, você estará ajudando-o a compreender que apesar dos momentos “não tão legais”, a convivência com o irmão certamente proporcionará inúmeras vivências maravilhosas!
  • Finalmente, há alguns livros infantis que ajudam, de uma forma mais lúdica você preparar o mais velho para a chegada do irmãozinho bem como fazer com que ele entenda como vai ser a nova vida com ele por perto. Eles aí logo abaixo!
Até a próxima!
Um beijo,
Carol Signorelli
Se quiser entrar em contato comigo, mande um e-mail para carol.signorelli@uol.com.br

Vou Ganhar um Irmãozinho

Autores: Kes Gray e Sarah Nayler

Editora: Panda Books

 E Agora? Vão Tomar o Meu Lugar? – Coleção Crescer

Autor: Bel Linares e Alcy

Editora: Salamandra (infantis) 

 

Meu Primeiro… – Irmãozinho – Col. 1ª Vez

Autor: Girassol

Editora: Girassol 

 

 

 

  • Maria Carolina Signorelli

    Psicóloga e mãe de Gabriela e Fernando. Ou vice-versa! Atende crianças e adolescentes no consultório e é expert em orientar os pais em seus dilemas

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)