Como mudar de casa sem estresse


Ingrid Lisboa
por: Ingrid Lisboa
Especialista em organização residencial e pessoal, consultora e palestrante

Imagem casa de boneca

(imagem: Freeimages)

Mudar de casa pode nos enlouquecer? A resposta é SIM! Juro que não é exagero. Em determinados momentos, ficamos tão estressada e até irreconhecíveis para alguns – e para nós mesmas. Eu, por exemplo, mudei de casa no ano passado e confesso que houve vários deles em que tive de parar e contar até 10. E isso considerando que sou especialista em organização. Agora imaginem o impacto de um atraso na reforma ou na entrega de um móvel do quarto de um bebê prestes, só para citar alguns exemplos do que pode dar errado.

Na Home Organizer, organizamos muitas mudanças ao longo de todo o ano e, por estar muito próximas durante o processo, presenciamos o estresse a preocupação de nossas clientes. Desde aquela que tinha o canto do choro na varanda, e para lá ia toda vez que quase perdia o controle, até uma que voltou a ter acne, tal como uma adolescente. Além disso, as pessoas mudam de casa por motivos diferentes: porque encontraram a casa dos sonhos, estão começando ou aumentando a família ou, ainda, se separando. E tudo isso acaba mexendo com a gente também. Até porque, a mudança se inclui na nossa rotina do dia-a-dia, que não pára nunca… Num segundo estamos envolvidas com um relatório no trabalho, no seguinte precisamos definir a cor da cortina e, no próximo, o que o filho vai levar no passeio da escola que acontece dali alguns dias…

Por conta disso, como disse acima, mudar de casa exige organização e planejamento com antecedência, além de uma boa dose de logística. Comece, no mínimo, 40 dias antes do dia em que pretende dormir na casa nova pela primeira vez. É claro que mudanças urgentes podem surgir de uma hora para outra. Mas se puder evitar estresse extra, melhor. Boas transportadoras, assim como demais profissionais envolvidos do setor, têm agenda cheia.

Não é incomum que, de tão envolvidas com reforma e escolha de móveis e decoração, as pessoas esqueçam detalhes importantes como definir a empresa de mudança ou agendar a data da saída. Acabamos confiando muito na memória e, se algo nos falha (e sempre acontece!), o nível de estresse aumenta. A dica para diminuir as chances de esquecer algum item é anotar TUDO em listas. Eu mesma, como já falei por aqui, há muito deixei de confiar na memória e virei adepta. Quando bem elaboradas e gerenciadas, as listas para gerenciamento de tarefas, entregas e fornecedores resolvem muito nossa vida. Até mesmo dão uma trégua àquelas vozes que vão e vem a todo momento, quando estamos nessa fase, com lembretes como “ligar para a TV por assinatura”, “falar com marceneiro sobre a porta do lavabo”, “comprar presente da festinha da filha”. E que, obviamente, não são garantia de que você irá lembrar de cumpri-los. Sejam listas em papel ou aplicativos, escolha a qual você melhor se adapta. O importante é fazê-las, consultá-las e gerenciá-las diariamente, para que o processo possa ser menos traumático e, por que não?, mais prazeroso!

Até a próxima,

Ingrid.

logo home organizer

  • Ingrid Lisboa

    Para a mãe do Emiliano e criadora da consultoria Home Organizer, o segredo de uma casa em ordem é descomplicar. Ela escreve no canal Tudo organizado

Data da postagem: 7 de dezembro de 2015

Tags: , , , , , , ,

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)