Uniforme ou não? Eis a questão


Taluana Adjuto
por: Taluana Adjuto
Especialista em enxoval de bebês. Comanda a assessoria de compras Talu Concept, em MIami

A atriz Giovanna Antonelli prefere branco para a babá (foto: reprodução)

 

A babá dos filhos de J.Lo vai de jeans e camiseta (foto: reprodução)

Quando abri a Elite Care, criei um uniforme (que não era branco) para ser usado pelas profissionais contratadas pela nossa agência. Porém, notava que a grande maioria das mães, quando recebia o kit, se sentia desconfortável. Muitas vezes, porque  preferiam branco, e acabavam comprando branco em outro lugar. Em outras vezes, diziam que que preferiam um abatimento no valor do serviço da agência, porque se sentiriam melhor se a babá não usasse uniforme. Comecei a ver que esse tema gera certas confusões e muitas dúvidas.

Pelo ponto de vista das baby sitters universitárias, perfil com o qual trabalhamos na agência, o branco não deveria ser uma obrigação. Apenas as profissionais da área de enfermagem, que estão habituadas a usar branco, o consideram essencial. A grande maioria, que vem da área de pedagogia, é terminantemente contra usar branco quando vão cuidar de crianças com mais de 1 ano. O argumento? Branco suja muito e as faz passar por uma condição de babá, diminuindo seu status, e elas achavam isso injusto!!

Muitas mães, quando contratam, nem sabem exatamente a razão de escolher o branco. Noto que escolhem o branco, porque já é um hábito da maioria.
Como padre usa preto e pronto!! Será?!

Quando o bebê ainda é recém-nascido, o branco é importante. Pois passa um aspecto mais limpo e sereno. Agora, quando a criança começa a engatinhar, comer
comida, andar, correr, brincar, pintar, não vai ter branco que
dure…

Talvez o mais recomendável seja combinar (e fornecer) a vestimenta
para a babá, monitora ou baby sitter. E também alinhar com
ela o tipo de roupa que deve usar em cada ocasião, como praia, festas e
dia a dia, e até mesmo pijamas. Evitando, dessa maneira, certos transtornos.

Outro dia, eu estava no Parque do Ibirapuera e encontrei uma cliente famosa,
com sua filha e sua babá. Eu só sabia que era a babá, porque
foi a Elite Care que intermediou  a contratação. Entretanto, aos olhos de
qualquer outro que passava, certamente a moça parecia mais uma amiga ou
uma irmã mais nova. Estava calor e ela usava um
vestidinho super confortável, porém nada discreto para quem está
trabalhando com uma criança

Perguntei a essa cliente, por que ela não fornecia vestimentas mais
apropriadas para a babá, e ela, super fofa, me respondeu que como
a babá ficava tempo integral, ela não achava justo fazer com que a moça
usasse um uniforme praticamente 24 horas. Ela não queria
desmotiva-lá!

Entendo a justificativa dessa mãe, mais ainda acho que poderia haver um
acordo entre as duas referente ao tipo de vestimenta. Mesmo que não use uniforme, a babá não deve usar roupas justas, curtas e transparentes, como em qualquer outro trabalho. Assim, evitaria, por exemplo, uma simples paquera, como a que presenciei,
enquanto a mãe corria pelo parque… Não que a babá não mereça ser
paquerada! Mas tudo tem sua hora e o bebê deve ser preservado!

E você? O que acha?

Um beijo,Taluana

  • Taluana Adjuto

    A mãe de Ayron e Leonna mora em Miami é especialista em enxoval de bebês e comanda a assessoria de compras Talu Concept

Data da postagem: 19 de julho de 2012

Tags: , , , ,

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)