O que fazer quando a empregada tem ciúme da babá?


Taluana Adjuto
por: Taluana Adjuto
Especialista em enxoval de bebês. Comanda a assessoria de compras Talu Concept, em MIami

Sempre me deparei na Elite Care muito casos de empregada doméstica com ciúme da babá. Isso é bem comum, principalmente quando a doméstica tem muito tempo de casa. Notavelmente, o que mais incomoda a empregada é ver uma pessoa estranha ganhar imediatamente tanta proximidade com a dona da casa – afinal, é função da babá passear, viajar, enfim, acompanhar a mãe e o bebe quase o dia todo. Além disso, por ter foco específico nos cuidados com o bebê e não na casa, a babá pode passar a sensação de que é hierarquicamente superior. Muitas empregadas domésticas sentem-se como se acatassem ordem das babás, principalmente quando têm que cozinhar, lavar ou passar roupas por solicitação da outra profissional. Já tive casos de mães que, no momento da solicitação, já me pediam para que a baba fosse o mais tranqüila possível, porque a doméstica era muito boa e antiga, porém autoritária e possessiva. Também ouvi muitos casos de babás que eram boicotadas pelas domésticas…

Para garantir a harmonia na convivência entre empregada e babá (e a sua tranquilidade!), é importante que você considere a sua casa como uma empresa e, portanto, considere-se também a gestora dessa empresa doméstica… Não, gerir não é tarefa fácil. Portanto, segue algumas dicas:

Tenha uma conversa inicial para apresentar a nova funcionária aos demais empregados da casa (cozinheira,  motorista, diarista, etc) pontuando as responsabilidades de cada um. Diga o que muda e o que continua igual nas funções de cada um para não haver interpretações erradas e evitar a frase: “Mas eu pensei que…” Uma boa ideia é listar as funções em uma planilha escrita. Pontue a importância de todos colaborarem para que, ainda que cada um tenha uma função específica, o trabalho em equipe resulte em uma otimização de resultados e principalmente em uma boa convivência. Diga que se preocupa com o fato de todos trabalharem felizes, já que passarão grande parte do tempo na mesma casa.

Avalie se os salários e benefícios estão compatíveis com os cargos, escolaridade, etc. Assim evita insatisfações e competições internas (não tem jeito, eles sempre sabem quanto cada um ganha)

– Mesmo que você tenha preferência por alguma funcionária, não é uma boa ideia delegar a ela a tarefa de vigiar ou conferir o serviço da outra (ou dos outros). Isso, sem dúvida, vai gerar stress no ambiente. Para ter essa função, a funcionária em questão precisa ser nomeada governanta e isso deve ser informado a todos, ok?

– Em casos de conflito, procure agir de forma imparcial. Não tome nenhuma atitude por impulso imediato e escute sempre todos os envolvidos. Dessa forma, vai decidir qual atitude tomar com mais racionalidade e menos emoção

Por fim, tente reconhecer as dificuldades e qualidades de cada funcionário para não exigir algo que notavelmente ele não tenha capacidade de fazer. O contrário também vale: não deixe o profissional que tem mais capacidade com tarefas pequenas (pois isso pode desmotiva-lo). A ideia é incentivar a todos para que possam dar o melhor de si e  contribuir de verdade para o andamento da casa e bem-estar da sua família, é claro.

 

beijos, Taluana

  • Taluana Adjuto

    A mãe de Ayron e Leonna mora em Miami é especialista em enxoval de bebês e comanda a assessoria de compras Talu Concept

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)