Babá para qual filho?


Taluana Adjuto
por: Taluana Adjuto
Especialista em enxoval de bebês. Comanda a assessoria de compras Talu Concept, em MIami

Também tenho 2 filhos. Lembro bem do turbilhão de emoções que senti com a chegada da pequena, que também foi planejada... (foto: arquivo pessoal)

Muitas mães de primeira viagem seguram a onda e optam por não ter babá no primeiro filho, mas
quando chega o segundo… S.O.S babá!!!

O mais curioso, que eu presenciava quando atendia as mães na Elite Care, é que elas frisavam que a babá seria APENAS para o segundo filho (que muitas vezes estava na barriga). Era engraçado ver como elas planejavam como se estivessem falando de vasos
de plantas. Era mais ou menos assim: “Eu estou acostumada a dar os
banho no mais velho, levar para a escola, dar o jantar. Como estarei de
licença, poderei também dar as demais refeições e brincar”. “Então, a babá vai fazer tudo com
o caçula que vai chegar, e só me trará para as amamentações…”

Isso me soava um tanto estranho. Mas logo passei a entender o que estava por trás: a angústia, o medo de magoar o filho mais velho. Toda grávida de segundo filho tem suas inseguranças. Como é que vou me dividir em dois? Dar atenção para os dois? Como fazer com que o mais velho não se sinta jogado para escanteio? Tentando racionalizar e achar uma solução, essas mães que procuravam uma babá para o segundo filho queriam dar um jeito de fazer com que tudo continuasse como antes, para poupar o mais velho da sensação de ter que dividir o terreno, ou melhor, ter que dividir a mãe mesmo. Mal imaginavam elas que o amor que iriam sentir pelo novo anjinho que estava chegando seria igual ao que já sentiam pelo primeiro… E isso faria com que elas não conseguissem simplesmente dar toda a atenção ao primogênito e apenas o peito para o segundo.

Entendia perfeitamente o tormento e a ansiedade que as assombrava. O mais velho já era o amor de sua vida, e esperavam amar o segundo da mesma forma. Mas lá no fundo não entendiam como seriam capazes de dividir tanto amor de maneira igual. Então, elas racionalizavam uma
circunstância absolutamente imprevisível para se sentirem mais no controle mais seguras do que viria pela frente.

Também tenho 2 filhos. Lembro bem do turbilhão de emoções que senti com a chegada da pequena, que também foi planejada… Afff que alegria e que dor que me dava na alma…

Mas tudo é aprendizado. E as coisas têm um sabor especial quando geram esse desconforto e essa angústia. No final, nada vai ser do jeito racional como você planejou. Com ou sem babá, a gente acaba aprendendo na prática que o amor não se divide, se multiplica. De uma maneira mágica tudo encontra o seu lugar. Por isso, relaxe: “Tudo vaio dar certo”. Não
programe nada e tampouco se torture. Nem tente privar seus filhos das experiências inevitáveis da vida. Todos os filhos merecem as mesmas atenções e frustrações para crescerem felizes e saudáveis!!!

  • Taluana Adjuto

    A mãe de Ayron e Leonna mora em Miami é especialista em enxoval de bebês e comanda a assessoria de compras Talu Concept

Data da postagem: 8 de outubro de 2012

Tags: , , , , ,

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)