A auto-estima do seu filho e… a babá!


Taluana Adjuto
por: Taluana Adjuto
Especialista em enxoval de bebês. Comanda a assessoria de compras Talu Concept, em MIami

Para se tornar um adulto seguro e com boa auto-estima, é fundamental que a criança vivencie, desde cedo, situações que contribuam para isso. Sem dúvida, o papel dos pais (e da babá) é fundamental!

Claro, não é tarefa fácil. Ainda mais com a correria contemporânea que deixa a paciência menos elástica. E cá pra nós, nem sempre temos certeza se estamos acertando  ou errando. A babá, então, fica mais confusa ainda. E o pior é se ela age de um jeito e os pais de outro!

Para ajudar, seguem algumas atitudes que você pode adotar e também passar com orientação para a babá. Assim vocês ficam alinhadas, falando a mesma língua com o seu filho. Importante: essa lista é fruto do que considero importante como mãe, mas também são baseadas em minha vivência como psicóloga

– Quando a criança mostrar uma novidade (desenho, brincadeira, etc) dê verdadeira atenção. Olhe nos olhos, entenda a novidade, pergunte e faça elogios pertinentes. Ou seja, evite padronizar o famoso: “que lindo!” para tudo. Além de acabar se tornando banal, quando no futuro algo não for esteticamente “lindo”, provavelmente não servirá!

– Em circunstâncias em que o pequeno agir de maneira correta (for gentil, generoso, solidario, perspicaz…) faça elogios pontuais, enfatizando exatamente a qualidade em questão, pois isso fará com que ele note reconhecimento e fixe ainda mais tal comportamento desejado para toda a sua vida!

Evite dar sermões em público! Procure se afastar com a criança e dizer por que tal  comportamento desagrada. E aí vale explicar que preferiu falar com ela longe dos outros em respeito a ela. Isso fará com que a criança reconheça a sua real atitude e também o respeite!

– Evite fazer tudo para a criança: um exemplo corriqueiro é na hora da comida… Muitos pais (e babás), com preguiça de limpar a bagunça que fica (e sempre fica), acabam dando a comida na boca. Mas é só comendo sozinha (digo, quando a criança já estiver apta para tal) que ela aprenderá e se sentirá segura para fazer suas refeições sem auxílio (e logo, sem se sujar tanto)

Estimule a criança a fazer tentativas, a experimentar o novo, mas esteja atenta ao seu limite, para que não ultrapasse a linha tênue entre o incentivo e a pressão (que faz efeito contrário)

Então queridas, respeito e atenção é a base que lapida esta “joia rara” chamada auto estima! Aplique em casa e oriente a babá.

Bjs

Talu Adjuto

www.elitecare.com.br

 

  • Taluana Adjuto

    A mãe de Ayron e Leonna mora em Miami é especialista em enxoval de bebês e comanda a assessoria de compras Talu Concept

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)