Viagem longa de avião com criança pequena. Como se preparar!


Equipe de Pediatras Fleury Medicina e Saúde
por: Equipe de Pediatras Fleury Medicina e Saúde
Todo mês, um médico especialista escreve para as it-mães

Dra. Daniela Piotto,

pediatra do Fleury Medicina e Saúde

 

Não se esqueça de fazer o check list da malinha de mão. Vale colocar brinquedos para passar o tempo no vôo e naninhas, casos elas facilitem o sono do seu filho (foto:Divulgação/Emirates)

 

Conheço muitas mães que deixam de viajar com as crianças porque acreditam que elas não vão se adaptar a um longo percurso de avião. Calma! O primeiro passo é planejamento.

Para começar, é preciso saber que a idade ideal para programar a primeira viagem é a partir de, pelo menos, três meses de vida. O sistema imunológico já estará mais forte para circular em ambientes com maior número de pessoas e o bebê já terá recebido algumas vacinas importantes, como as da meningite, por exemplo.

Agora, bora planejar a viagem! A primeira dica que costumo dar é marcar uma consulta com o pediatra entre uma ou duas semanas antes. A ideia é fazer um check-up da saúde do pequeno e preparar um checklist dos medicamentos que ele pode vir a precisar. Um kit básico contém, em geral, um antitérmico, antiemético (remédio para vômito) e soro fisiológico para o nariz (porque o ar condicionado do avião resseca as vias áreas, sendo recomendada a aplicação do soro antes e durante a viagem). Se o seu filho for precisar da medicação, o ideal é manipular entre 30 minutos a uma hora antes de embarcar, conforme as orientações do pediatra. Não se esqueça de levar a receita médica e a carteira de vacinação, pois pode ser preciso em caso de alguma doença em viagem internacional.

Depois desses cuidados, a dica seguinte é: escolha voos noturnos, pois a rotina da criança é mantida e, provavelmente, ela conseguirá dormir na maior parte do tempo. Solicitar o bercinho, que algumas companhias aéreas já disponibilizam, também é outra recomendação valiosa.

Outra dica prática é ser um dos últimos a embarcar para ficar menos tempo no avião. Se você tiver um acompanhante, ele pode embarcar antes para acomodar as malas ou solicitar ajuda dos comissários de bordo.

Se viajar com crianças entre três meses a quatro anos de idade, não esquecer o carrinho. Muitas dormem enquanto o embarque não é realizado e, depois, durante os passeios – por ficarem cansadas de caminhadas mais longas (no caso de crianças maiores). O carrinho pode ser despachado na porta do avião e resgatado no momento do desembarque, o que facilita o deslocamento dentro do aeroporto.

 

Vamos à malinha de mão!

Para fazer a bagagem de mão deve-se considerar não somente o tempo de duração do voo, mas a duração total da viagem até chegar ao hotel. Isso porque você ficará um bom tempo sem acesso às malas despachadas. Para começar, recomendo levar roupas extras e confortáveis para você e seus filhos. Para as crianças maiores, sugiro pelo menos de duas a três trocas de roupa, pois podem se molhar ou se sujar durante as refeições. E para os bebês, as trocas habituais, com pelo menos três bodys e três calças. Levar sempre fraldas extras e calcinhas ou cuecas para eventuais trocas. Se o bebê for menor de um ano, sugiro levar em torno de seis a oito fraldas, porque as trocas ocorrem a cada três-quatro horas. Lenços umedecidos ou chumaços de algodão são fundamentais para a higiene dos pequenos, que podem ser usados tanto para limpar a região das fraldas em lactentes como para limpar as mãozinhas e o rostinho das crianças que se sujam durante as refeições ou passeios.

Se o bebê não mama exclusivamente, frutas são sempre bem-vindas. Além disso, é possível solicitar na companhia aérea uma refeição especial para bebês. Se, por acaso, o bebê mama fórmula, pode levá-la e misturá-la com água no avião. O ideal é conversar com o seu pediatra a respeito, pois já existem fórmulas em saches individuais para viagens.

Também vale lembrar de levar copos de transição que facilitam a ingestão de água e sucos, chupetas, mordedores, brinquedos (desenhos ou livrinhos) e ursinhos ou naninhas que costumam estimular o sono.

Quase lá!

E por fim, no momento da decolagem e aterrissagem, se possível, amamente! Em crianças maiores, estimule o uso de chupeta ou a ingestão de líquidos, pois a sucção alivia a pressão interna no ouvido, reduzindo a tensão e possível dor. Se necessário, pode medicá-lo com remédio para dor, conforme orientação do pediatra.

Acredito que com essas dicas tudo será mais tranquilo e divertido! Criem memórias, viajem!”

  • Equipe de Pediatras Fleury Medicina e Saúde

    O Fleury Medicina e Saúde conta com uma equipe de pediatras nas unidades Vila da Saúde, estruturadas especialmente para o atendimento pediátrico, para esclarecer as dúvidas das famílias em relação aos exames de seus filhos, oferecer suporte nos procedimentos, acompanhar os resultados urgentes e prestar assessoria médica ao pediatra da criança. Dentre eles, há pediatras especializados em imunização, endocrinologia, reumatologia, alergia, infectologia, entre outros

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)