Bebê bem instalado no quarto do hotel


Daniela Folloni
por: Daniela Folloni
Jornalista fundadora e diretora de conteúdo do Portal It Mãe

Quando a gente tem um bebê, os requisitos básicos para a escolha do hotel ideal mudam bastante. Não, não ficamos procurando o melhor kids club. Afinal, bebês não saem correndo para brincar com monitores! Claro que uma piscina aquecida cai muito bem, obrigada, e uma brinquedoteca limpíssima também vem a calhar. Mas o foco da mãe e do pai está… no quarto. Descobri como as características do quarto de hotel eram importantes para o bem-estar do nosso filhote (e consequentemente para o nosso bem-estar) logo na primeira viagem que fiz, quase 5 anos atrás, com a minha primeira filha, a Bela. Ela tinha só 2 meses e meio e nos aventuramos em uma viagem de carro de São Paulo a Araraquara para participar do casamento de um casal de grandes amigos. O quarto do hotel tinha algo que, desde o começo achei essencial: uma cama de solteiro ao lado da cama de casal. Pra quê? Para virar a estação do trocador. Estiquei ali um trocador portátil macio e, ao lado dele, fraldas, algodão, lenços umedecidos. Ter tudo à mão como em casa facilitou bastante a vida desta mãe de primeira viagem. Desde então, fui acumulando alguns esquemas que facilitam a vida no quarto de hotel. E vou dividir com você aqui:

1- Quanto maior for o quarto, melhor. Bebês são pequenos, têm roupinhas pequenas, mas ocupam um espaço danado! Ter cama extra para o trocador é ótimo. Armários ou prateleiras para apoiar a mala de roupas de modo que tudo fique fácil de achar, melhor ainda. E ainda faz falta um espaço para colocar os brinquedos favoritos (na hora de escolher quais levar, conselho de quem já levou até tatame: menos é mais, estimule o bebê a se entreter com as novidades da viagem, como bichos, flores, árvores, lugares diferentes… Ele vai adorar e você vai carregar menos malas) Banheiro grande, com box idem, é mais prático ainda – pense que você terá de dar banho no bebê em uma banheirinha portátil e, se ela couber dentro do box, vai ser ótimo para evitar molhar o banheiro todo, para enxaguar o bebê com água limpa do chuveiro…

2- Faça questão de um frigobar para deixar frutas e outros alimentos que precisem ser conservados. Se tiver um microondas, melhor ainda! Não tem? Lembre-se ao menos de tirar todos os dias as garrafinhas de água da geladeira. Assim, não vai ser pega de surpresa caso tenha de fazer uma mamadeira no meio da noite e só tiver água gelada. Sempre acostumei meus filhos a tomar mamadeira em temperatura ambiente para não ficar dependente do microondas em situações em que não há um por perto.

As garrafas de água sempre fora do frigobar salvam no meio da noite! (foto: Daniela Folloni)

 

3- Por falar em mamadeiras, sempre é ótimo ficar em flats com cozinha, pois uma pia faz falta quando você tem muitas mamadeiras e chupetas para lavar. E um fogão ou microondas para esquentar papinha antes de sair faz uma diferença danada. Porém, nem sempre isso é possível. Resta então recorrer à copa do bebê ou, para lavar mamadeiras, recorrer à pia do banheiro mesmo. Por precaução, gosto sempre de levar detergente neutro em uma embalagem de xampu para viagem, além da escova da mamadeira.

O potinho de xampu com detergente - tire o rótulo para não confundir com os produtos de beleza do nécessaire (foto: Daniela Folloni)

4- O berço é, claro, um item de extrema importância. E, às vezes, a gente tem surpresas desagradáveis com o que encontra no hotel… Já me deparei com um tipo de  grade baixa demais (quando o bebê já fica de pé, é um perigo!); outro grandão de madeira, mas sem protetor de berço e pouco aconchegante; um outro de tela bem pequeno e usado demais… E também já dei sorte de encontrar um ótimo e novíssimo. Para não ter surpresas, o ideal é levar um berço portátil de casa.

5- Para garantir um soninho bem gostoso para o filhote, leve o cobertor dele (que você tem certeza que não provoca alergia), o travesseiro e os lençóis.

6- Em viagens para lugares frios, certifique-se de que há aquecedor no quarto (não acho que fumaça de lareira pode ser indicada para bebês…). Se não tiver o tal aquecedor, vale levar um portátil, além de luvinhas e macacões bem quentinhos para a noite (uma vez, em Monte Verde (MG), passei a noite em claro preocupada com o meu filhote que ficava com as mãozinhas congeladas!)

7- Não se engane: não são apenas resorts que oferecem estrutura para lavar mamadeiras, fazer sopinhas… Pousadas pequenas e charmosas podem ser muito receptivas, desde que tenham pessoal atencioso e certa estrutura. Explique antes de reservar que irá com um bebê, pergunte se eles podem fazer uma papinha, liberar o microondas, enfim. “Sinta” se o lugar recebe bem os bebês.

8- Você pode dar sorte e achar um quarto de hotel perfeito. Mas… e se ele não for tudo aquilo?  Como diz Doroty no filme O Mágico de Oz, não há lugar melhor que nossa casa. Então, leve sempre com você jogo de cintura e disposição para curtir a viagem e mudar de ares com o filhote e toda a família.

  • Daniela Folloni

    Jornalista, mãe de Isabela e Felipe, trabalhou nas revistas Vogue, Cosmopolitan e Claudia. Acredita que toda mãe merece sucesso, diversão, romance e oito horas de sono

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)