Panamá com crianças: 10 programas para fazer por lá


Daniela Folloni
por: Daniela Folloni
Jornalista fundadora e diretora de conteúdo do Portal It Mãe

Neste Carnaval, resolvemos partir para um destino diferente: o Panamá, na América Central. Confesso que o fator decisivo da nossa escolha foi o fato de termos amigos queridos que se mudaram para lá há pouco tempo. Não sabíamos o que encontraríamos em termos de diversão e turismo. Afinal, matar as saudades de amigos, botar o papo em dia e ver as crianças brincando juntas já seria um programa maravilhoso.

Mas a Cidade do Panamá nos surpreendeu com atrações no estilo “tem que ir”, como o Canal do Panamá, um hotel na selva pertíssimo da cidade, além de restaurantes com gostinho de quero mais e atividades muito divertidas para as crianças, como um parque de escalada indoor. Foram sete dias de viagem que renderam bem (dá até para fazer em menos tempo – aproveitar um feriado prologado, por exemplo). Aqui, minha lista com dez programas que vale a pena fazer:

Aquela foto de família que tem que ter com o Canal do Panamá ao fundo (foto: It Mãe)

1- Canal do Panamá Ver os navios atravessando do oceano Pacífico para o Atlântico (e vice-versa) é um programa clássico do Panamá e super vale a pena. Visitamos o Centro de Visitantes Miraflores , que tem também um museu bem completo. O tour começa com um vídeo de 10 minutos que conta história da construção do canal e de como ele mudou a economia do país. Já o museu tem atividades interativas, como um simulador da experiência de ser o comandante do navio que atravessa o canal (as crianças adoram). Em um dos andares, há aquários com peixes e um aparelho que mede a porcentagem de água no seu corpo (não sei se acreditei muito, mas é divertido fazer). 

 

Para que uma embarcação consiga atravessar o Canal do Panamá são usadas as eclusas, diques que se enchem de água e permitem a descida e elevação dos navios. Para ver a travessia acontecendo, vale a pena consultar os horários no site do Centro e Visitantes Miraflores antes da visita (foto: It Mãe)

2- Casco Viejo Outro passeio turístico e que não pode faltar é se perder pelas ruas do Casco Viejo, um bairro antigo, com um quê de Vila Madalena por causa da quantidade de bares e restaurantes descolados que há ali. Também tem um quê de centrinho histórico espanhol, com construções antigas e algumas praças, feirinha de artesanato… Fomos almoçar no restaurante Santa Rita, especializado em tapas (petiscos) espanhóis. Ambiente lindo, atendimento ótimo e comida muito boa. 

Selfie em frente a uma ruína no Casco Viejo. Por um momento me lembrei de Sevilha (foto: It Mãe)

 

As casas coloridas e super conservadas do Casco Viejo. Dentro de muitas das construções é restaurantes e bares super bem montados (foto: It Mãe)

3- Clip ‘n Climb Esse parque de escalada indoor fica em Costa del Este e é muito divertido. Tem vários tipos de parede de escalada. Uma delas, é transparente para uma criança escalar de um lado e outra do outro e competir. Também há cilindros que formam uma escada. As crianças sobem presas por um equipamento de segurança. E o mais divertido segundo minha filha é o Tobogan Extremo – pra escorregar, tem que vestir uma roupa especial e pelos meus cálculos, o começo a descida e quase 90 graus. Uma horinha de diversão garantida. Custa 25 dólares.

Criançada no aquecimento do Clip ‘n Climb Panamá (foto: It Mãe)

 

Muitas paredes de escalada para escolher no parque indoor de escalada (foto: It Mãe)

4- Gamboa Rainforest Resort A cerca de 40 minutos a 1 hora da Cidade do Panamá fica esse megaresort em plena floresta tropical. A impressão que tive é que saímos da metrópole e fomos praticamente teletransportados para a floresta! Pensar que para chegar na Amazônia leva cerca de 6 horas ou mais (contando avião, taxi e barco)… foi muito mais fácil. O hotel é gigante, com quartos bem espaçosos e varanda com rede de crochê que merece uma foto (no estilo férias com glamour na selva).

 

O lobby todo todo glam na floresta do Gamboa Rainforest Resort. Repare no visual lá de fora! (foto: It Mãe)

Essa vegetação era dentro do lobby do hotel, acredite! Tinha até cascata (foto: It Mãe)

 

A vista da varanda do quarto com a rede mais fotogênica que poderia ter. E esse sol gigante no amanhecer? Espetáculo (foto: It Mãe)

 

Você acorda com o canto dos pássaros e pode escolher entre ficar na piscina do hotel relaxando ou fazer alguns dos passeios (alguns com custo extra, outros não). E dá para fazer as duas coisas também! Com direito a ver muito bichos em seu habitat natural. No safári noturno de jipe, vimos bichos-preguiça. Já no safári noturno de barco – com um céu estrelado nos acompanhando – vimos crocodilos bebês e pelicanos. O passeio mais completo foi o teleférico com exibição da fauna local. A primeira parte foi pegar um teleférico e “sobrevoar” a floresta até chegar a um observatório de onde dava para ver até as ocas de uma tribo indígena. Já a parte dois do passeio incluiu visitar uma área dedicada a borboletas, outra a rãs e outra a animais que estavam sendo vítimas de maus-tratos – como tamanduás e bichos-preguiça  – e foram resgatados. Os filhotes eram fofos demais e  maior frustração das crianças foi não poder pegar no colo, nem passar a mão. Regras que servem para preservar o animal. Reservamos o Gamboa pelo Booking.com. Sobre o hotel, vale dizer que é bom – só poderia ter um atendimento melhor e ser um pouquinho mais conservado. E uma sugestão: prefira fazer as refeições no bar do que no restaurante self-service. As opções do bar são mais interessantes, gostosas e a conta fica mais barata. No restaurante, cobra-se mais caro pela variedade, mas nem tudo vale a pena 😉

Apenas uma parte da piscina grandona do Gamboa Rainforest Resort. Onde estão as mães? Em algum lugar tomando sol e cerveja geladinha 😉 (foto: It Mãe)

 

Nosso transporte com estampa “animal print” que nos levou para todos os passeios (foto: It Mãe)

 

Depois do passeio de teleférico, subida no observatório e essa vista linda de presente (foto: It Mãe)

 

Na área de recuperação de animais tinha tamanduá e… (foto: It Mãe)

 

… bicho-preguiça fofinho demais, mas não pode tocar para a lamentação das crianças (foto: It Mãe)

 

5 – Biomuseu A começar por sua arquitetura toda moderna, assinada pelo arquiteto Frank Gehry, o Biomuseu é um lugar cool. No tamanho exato para não cansar as crianças e com o objetivo de apresentar a biodiversidade do Panamá, trata-se de um programa gostoso, que vale a pena fazer. O passeio começa com um filme que mostra a rica natureza do Panamá. O mais divertido é que a sala de exibição tem telões no teto, em três paredes e no chão, que é de vidro. O mais legal é sentar no chão e assistir tudo dali. As crianças adoram, porque no telão do chão passam arraias, formigas levando as folhas… tudo imagem! Na sala seguinte, há várias esculturas em tamanho natural de bichos da região – alguns já extintos – e ali se explica como os movimentos geológicos da Terra origem ao Panamá e como a biodiversidade ganhou com essa “ponte” que passou a ligar a América do Norte e a América do Sul. Ainda há dois mega aquários que ainda serão habitados por peixes do Atlântico e do Pacífico. Para completar o Biomuseu fica em uma região linda do Panamá. Que vou falar a seguir…

  Na frente do Biomuseo com sua fachada colorida idealizada pelo arquiteto Frank Gehry  (foto: It Mãe)

 

O Biomuseo fica no Amador Causeway, área linda do Panamá e ótima para passear de bike (foto: It Mãe)

As crianças ouvindo as explicações sobre a biodiversidade com o audioguia em português (foto: It Mãe)

6- Amador Causeway É a tal região linda onde fica o Biomuseu. Trata-se de um passeio na orla onde é possível andar de bicicleta, curtir o visual e tirar muitas fotos do lindo skyline do Panamá.

Nós quatro na parte externa do Biomuseu. Ao fundo, a linda Amador Causeway (foto: It Mãe)

7- Brutto Restaurante O bar/restaurante que mais amei foi o Brutto. Que do significado em português para bruto não tem nada! Fica no andar térreo de um dos super altos e moderno edifícios do Panamá. Ambiente lindo, descolado, chiquezinho com DJ fazendo o som ambiente. Os garçons são simpáticos e a comida chega sem demora. Por falar em comida. Ah…. esse é o ponto alto. São servidas porções (quatro ou cinco unidades por uma média de 9 dólares cada porção) de pequenas delícias que dá vontade de repetir, repetir… Provamos taquinho de salmão, sanduichinho de barriga de porco (não torça o nariz antes de provar – é divino) e muitas outras coisas gostosas acompanhadas de Spritz Aperol. Fomos sem as kids (que ficaram na casa da minha amiga com a baby sitter), mas vi famílias com bebês jantando ali. 

8- Comprinhas gastronômicas Anote este nome: Felipe Motta Se você ama vinhos e otras cositas mas, como azeites trufados e delicias gourmet não pode deixar de visitar uma das lojas da rede. Ambiente lindo, variedade de produtos e preços que vão fazer você querer morar no Panamá para abastecer sua adega sempre por lá. Vinhos que no Brasil custam 800 reais podem custar 50 dólares. E claro que você acha ótimas opções de vinhos até mesmo por 9 dólares!

9- Color me Mine Um lugar que você se pergunta por que ainda não existe no Brasil. Essa franquia americana faz as crianças desenvolver a criatividade e se sentirem artistas. É possível escolher uma das muitas peças de cerâmica à venda e depois se divertir pintando com tintas especiais e outras ferramentas. Aí a peça fica por lá 24 horas para passar por um processo de queima e depois você retira e leva para casa. Uma brincadeira que vira uma recordação, um objeto de decoração, enfim. Muito bacana!

10- Arquipélago de San Blas Com mais de 360 ilhas, é um pedaço o paraíso no oceano Atlântico. A maioria delas não habitadas. O arquipélago é comandado por índios e tem muito pouca estrutura para se hospedar. A pedida é fazer um bate-e-volta de barco ou fazer um passeio de um noite pernoitando no barco com as refeições a bordo – tudo vindo direto do mar, pescado na hora. A água é transparente. Não deu tempo de fazermos esse passeio por causa da escapada para o hotel na floresta. Mas já ficou na nossa listinha como mais um motivo, além de nossos amigos, para voltar ao Panamá em breve 🙂

Dicas finais:

1- Prefira alugar carro do que pegar táxis, que não são muito confiáveis, segundo outra amiga que morou no Panamá por anos. 

2- Para se hospedar há hoteis de grandes redes no centro – tem muitas opções para todos os bolsos.

3- Monte a mala com roupas leves. No Panamá é sempre quente!

 

 

 

 

  • Daniela Folloni

    Jornalista, mãe de Isabela e Felipe, trabalhou nas revistas Vogue, Cosmopolitan e Claudia. Acredita que toda mãe merece sucesso, diversão, romance e oito horas de sono

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)