HIIT: o treino de alta intensidade para quem não tem tempo


Débora Lublinski
por: Débora Lublinski

treino_mulher_hitt

Intenso, o HIIT dura apenas 30 minutos e deve ser feito de duas a três vezes por semana (Foto: 123RF)

A falta de tempo é a desculpa número 1 de quem não consegue encaixar uma atividade física na rotina. Mas se tem alguém nesse mundo que pode usar essa justificativa com legitimidade são as mães — especialmente as que ainda têm filhos pequenos. Tempo é artigo de luxo até para dormir quanto mais para se exercitar. Só que o desejo de recuperar o corpo de antes da gestação e/ou estar em forma também é verdadeiro. Qual a equação? Se marcar presença todo dia na academia é impossível, o jeito é abreviar o treino — e aumentar a intensidade dele.

Daí o sucesso do HIIT, sigla em inglês para o High Intensity Interval Training ou Treino Intervalado de Alta Intensidade. “A recomendação do American College of Sports Medicine é fazer 150 minutos de atividade física por semana. Apenas 25% das pessoas conseguem colocar isso em prática. Os treinos curtos e intensos vieram para ficar”, acredita Dudu Netto, diretor técnico da academia Body Tech.

Em média, são apenas 30 minutos, de duas a no máximo três vezes na semana. Mas não se engane: os movimentos são realizados em circuito com esforços de alta intensidade e curta duração (30 segundos no seu limite máximo!) e intercalados com períodos de recuperação ativa, ou seja sem descanso, mas com movimentos (4 minutos) menos intensos. Moleza não tem. Nem milagre!

Perda de peso, aumento de massa magra (oba, músculos!), melhora da capacidade cardiorrespiratória (para correr com as crianças sem ficar ofegante), além do controle da pressão arterial, prevenção do diabetes e diminuição dos triglicérides e glicose no sangue são alguns dos benefícios da modalidade. Sem falar que é uma atividade dinâmica: as aulas mudam a cada encontro e o ritmo é frenético — não tem espaço para a monotonia.

Mas é muito importante é praticar o HIIT com acompanhamento de um profissional habilitado, principalmente para quem está voltando à forma. “É possível adaptar o treino para diferentes níveis. Ainda assim, por trabalharmos no limite da capacidade de cada aluno, o professor de educação física deve acompanhá-lo de perto”, diz Dudu Netto. Em dúvida de como equilibrar os papéis de mãe, profissional e musa fitness (eu sei, não precisa tanto…)? Está aí uma boa opção!

  • Débora Lublinski

    Jornalista e mãe da Marina, Débora Lublinski trabalhou por 15 anos em revista feminina cobrindo beleza, saúde e bem-estar. Mas não vive apenas de glamour e sabe bem o malabarismo que é se cuidar sem descuidar dos filhos, da casa, do casamento e da carreira

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)