7 cuidados para quem tem a pele oleosa no verão


Dra. Carla Bortoloto
por: Dra. Carla Bortoloto
Médica especializada em dermatologia clínica e cirúrgica

  mulher_espelho_hidratante

Quem tem a pele oleosa pode e deve usar hidratante facial, sim! (Foto: 123RF)

Quem tem pele oleosa já conhece o drama: o verão começa, as glândulas sebáceas ficam mais estimuladas, a produção de óleo aumenta e a pele ganha um brilho nada atraente. No Brasil, mais de 80% das mulheres possuem esse tipo de pele, caracterizada pelos poros dilatados e pela aparência “engordurada”, sobretudo na chamada zona T (testa, nariz, queixo). Fatores genéticos, alterações hormonais, estresse e até má alimentação estão entre as causas do problema. A boa notícia é que com cuidados simples é possível se evitar a oleosidade excessiva durante a estação. Confira.

Limpeza, mas na medida!

Para manter o rosto livre das impurezas e do brilho, a higienização da pele deve ser realizada sem exageros. O ideal é lavar o rosto pela manhã e à noite com gel de limpeza específico para o tipo pele e água fria. Isso evita que as glândulas sebáceas fiquem superestimuladas, aumentando a oleosidade na pele.  Durante o dia, vale investir também no uso de lenços umedecidos para retirar o excesso de oleosidade de regiões como rosto e colo. Além disso, uma esfoliação leve pode ser feita uma vez por semana para remover resíduos mais profundos que, além de obstruir os poros, levam à formação de cravos e espinhas.

Hidratação sempre

Quem tem a pele oleosa deve, sim, hidratá-la com cremes e afins como todo mundo. Do contrário, a produção de óleo vai aumentar ainda mais, sabia? Para nutrir e, consequentemente, manter a hidratação da pele, opte por produtos específicos para esse tipo de pele, em forma de gel ou loção cremosa. Outra opção é borrifar água termal. Além de hidratar, ela trará sensação de frescor à pele nos dias mais quentes.

Invista na proteção

O protetor solar é indispensável para quem tem pele oleosa. Para evitar o aspecto pesado e brilhoso, invista em opções em gel ou séruns, sempre oil free. E o fator de proteção deve ser 30, no mínimo.

Temperatura certa

Lembre-se, quanto mais quente a água do banho, mais as glândulas vão responder produzindo sebo! Para manter a saúde da pele, a água deve ter temperatura entre 22 e 24 graus.

Acerte no make!

Prefira sempre produtos oil free, com textura leve, não comedogênico (que evitam a acne) e efeito mate para reduzir a oleosidade da pele. Maquiagem com textura pesada e oleosa obstrui os poros e piora o quadro. E não custa lembrar: lave o rosto e aplique um bom demaquilante ao fim do dia para retirar todo e qualquer resíduo.

Atenção aos fatores externos

Quem possui pele oleosa deve pensar bem no corte de cabelo. A presença de franja aumenta a temperatura e abafa a região da testa, aumentando a oleosidade local. Também evite passar a mão constantemente nos fios. Isso pode passar a oleosidade dos cabelos para a pele. E passar a mão toda hora no rosto, além de levar impurezas para a pele, estimula a atuação das glândulas sebáceas. O resultado, você já sabe: pele oleosa e brilhante.

Olho no prato!

Alguns alimentos influenciam na oleosidade da pele.  Quem convive com o problema deve evitar carboidratos à base de açúcar refinado e de farinha branca, como pão, massas e biscoitos, por exemplo. Já alimentos ricos em vitaminas e fibras, como cenoura, laranja, abacaxi, maçã morango, verduras de folhas verde-escuras e cereais integrais, ajudam a equilibrar a produção de sebo pelas glândulas sebáceas, combatem os radicais livres e atuam como cicatrizantes e anti-inflamatórios.

  • Dra. Carla Bortoloto

    Médica especializada em dermatologia clínica e cirúrgica, Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Clínico Cirúrgica (SBDCC), ela acredita no papel fundamental das mães em passar aos filhos a importância dos cuidados com a pele, cabelo e unhas

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)