6 coisas pelas quais você não deve sentir culpa


Maria Carolina Signorelli
por: Maria Carolina Signorelli
Psicóloga de crianças e adolescentes

Sair com as amigas é importante para manter sua identidade (Foto: Reprodução Sex and The City)

Quando o assunto é maternidade, não tem saída: de alguma forma, a culpa sempre está presente! E grande parte dela vem dos ideais de perfeição que a gente acaba alimentando. Conciliar as obrigações e os desejos pessoais é um grande desafio, sabemos! Mas é possível, sim, encontrar um equilíbrio saudável! A seguir, você vai encontrar algumas dicas para pegar mais leve no seu dia a dia e não se tornar escrava das próprias cobranças.

1) Não preparar o jantar todas as noites

Nem tudo na vida é previsível. Mesmo a mulher mais organizada e planejada tem de lidar com situações inesperadas. Então, se o seu dia apertou, não precisa se desdobrar em mil para cozinhar aquele jantar saudável para as crianças. De vez em quando, a noite da pizza no meio da semana pode até se tornar algo divertido. Bom senso e leveza são coisas que se conquistam a partir das experiências cotidianas. Entenda que você não pode controlar tudo, afinal.

2) Cuidar de si mesma

Inclua na sua rotina momentos de autocuidado, mesmo que, obviamente, tenha de gastar um pouquinho com isso. Pode ser uma massagem relaxante, o horário fixo na manicure, o banho tomado com calma com sais ou produtos especiais. Permita-se pequenos prazeres. Eles fazem bem, pois nos reenergizam.

3) Delegar tarefas aos companheiros

Este é um desafio e tanto para muitas mulheres, embora pareça meio óbvio! No consultório, eu ouço muitas reclamações do tipo: “Mas eu peço para o meu marido fazer e ele não faz direito!”. Então, eu pergunto: “Mas você permite que ele faça do jeito dele?”. Muitas vezes, as mulheres não conseguem delegar, tornando-se inflexíveis, pois não suportam a ideia de que algo não saia exatamente do jeito que elas gostariam.

4) Sair com as amigas

Muitas mulheres, mesmo sem se darem conta, acabam deixando que a demanda interminável do dia a dia “roubem-lhe” a identidade. E quando isso acontece, todo mundo sai perdendo, pois é inevitável “cobrar esta conta” dos supostos “culpados”, sejam estes a família ou até mesmo o chefe super exigente! Por isso, sair com as amigas ou fazer aquele curso que você tanto deseja, só podem te fazer bem. Lembre-se: apenas os papéis de mãe e profissional não definem quem você é por completo!

5) Quebrar a rotina

Isso mesmo! Permita-se tomar um café com a amiga que você encontrou sem planejar, aceite o convite de última hora para almoçar com as mães da escola do seu filho. Deixe-se encontrar por algo que não procurava. Há muitas oportunidades escondidas naquilo que não planejamos e “apenas” vivemos. Eu já ouvi até mesmo, histórias de parcerias profissionais de sucesso que nascem desta forma.

6) Ficar sem fazer nada

Não é porque as crianças foram passar a tarde de domingo com a avó que você precisa preencher seu tempo com as coisas que estão por fazer em casa. O armário pode esperar para ser arrumado! Não, você não está sendo improdutiva. Veja por outro lado: está “apenas” curtindo algumas horinhas de descanso merecido depois de uma semana pesada de trabalho!

E por fim, uma última dica: aprenda a se escutar. O autoconhecimento é um aliado e tanto na descoberta do que te faz feliz!

  • Maria Carolina Signorelli

    Psicóloga e mãe de Gabriela e Fernando. Ou vice-versa! Atende crianças e adolescentes no consultório e é expert em orientar os pais em seus dilemas

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)