Juliana Silveira fala sobre as dores e as delícias da maternidade


Patricia Gattone
por: Patricia Gattone

juliana-silveira-com-a-família

Juliana com o filho e o marido em Búzios (Foto: Reprodução Instagram)

Prestes a estrear na telinha como a rainha Kalési na trama “A Terra Prometida”, da TV Record, a atriz Juliana Silveira, 35, aprendeu na prática que a maternidade pode ser bem mais complicada do que ser a soberana de toda uma nação. “A gente só entende o quanto é difícil quando vira mãe”, afirma a mãe de Bento, 4, fruto do casamento com o designer João Vergara. E, claro, tem receios como todas as “plebeias”, gente como a gente. “A gente cria milhões de fantasias durante a gravidez , mas aprendi que nada pode ser controlado. Eu queria parto normal, por exemplo, e tive que fazer cesárea. Eu achei que ia amamentar até um ano, também não aconteceu. Tudo o que eu planejei não aconteceu (risos). E foi ótimo do jeito que foi”, completa. No bate-papo que tivemos com a atriz, ela conta mais sobre o que chama de “as dores e as delícias de ser mãe”, assim mesmo, tudo junto. Vem ver.

It Mãe: Como foi a chegada do seu filho?

Juliana Silveira: A chegada de um bebê é um momento muito confuso. Lembro-me do primeiro dia estava no hospital: eu tentando amamentar, com as dores da cesárea e a preocupação em fazer meu filho ganhar peso. Enquanto isso, na sala ao lado, as visitas estourando champanhe. Aí teve uma hora que gritei: gente, isso aqui não é festa, preciso de silêncio, pode ser? E nos primeiros meses, o Bento teve muita cólica. Eu não conseguia fazer quase nada nessa época, só ia caminhar com ele na hora do banho de sol pelo condomínio, no comecinho do dia e no fim da tarde. Teve um dia que não aguentei e chorei na pediatra, estava muito cansada. No horário em que meu filho ia dormir eu não conseguia desligar, queria ouvir se a respiração dele estava normal… Realmente não dominei a situação e não domino até hoje. E cheguei a conclusão de que é melhor assim. Por que a gente não consegue fazer tudo, né?

01

Na praia: “A vida é cheia de alegria com ele” #sobrefilhos (Foto: Reprodução Instagram)

It Mãe: O que você tem aprendido com a maternidade?

Juliana Silveira: Eu sempre sonhei em ser mãe. Acho que foi muito mais intenso do que eu esperava, porém. Às vezes, você faz uma coisa que imaginou ser errada e ela torna-se boa para você e o seu filho. Seu ego diminui, as coisas tomam a proporção correta e nada – se não for tão sério – te aborrece mais à toa. A saúde dele é o que basta para você ficar bem. Nesses quatro anos, aprendi que o mais importante é a gente se relacionar, não interessa se você trabalha fora ou não. Mas a maternidade requer tempo: é preciso brincar, conversar, deixar o celular de lado quando estiver com o filho. E, no dia a dia, ele vai dando dicas do que precisa para a gente assumir melhor o nosso papel.

06

Fazendo bagunça na hora do lanche (Foto: Reprodução Instagram)

It Mãe: Como você e seu marido dividiam os cuidados com o bebê?

Juliana Silveira: O João sempre me ajudou muito. Eu amamentava, por exemplo, e ele colocava o Bento para arrotar. E permitir que o meu marido participasse fez com que, hoje, os dois tenham uma relação muito próxima e amorosa. Por outro lado, nunca critiquei. Assim como a mãe, o pai também precisa aprender até pegar prática. Às vezes, depois que ele trocava a fralda, ficava meio torta e vazava. Eu fingia que não via. Até porque quanto mais ele participar, melhor!

02

Acompanhando de perto as atividades do pequeno Bento (Foto: Reprodução Instagram)

It Mãe: E o relacionamento do casal, mudou algo?

Juliana Silveira: Na verdade quem te faz voltar à vida de antigamente, quem ajuda nessa transição é o marido. A gente precisa da ajuda desse terceiro elemento, que é o homem, para voltar a ser mulher, a trabalhar, a namorar. Pois a maternidade é muito sedutora: ficar com o bebê é a coisa mais gostosa do mundo. A gente fica sem libido nenhuma, sem vontade de nada mesmo, faz parte. Então, seu marido tem que se esforçar para que você deixe um pouco o bebê, permitindo-se fazer outras coisas novamente, como ir ao cinema rapidinho ou sair para jantar.

03

Pai e filho em almoço de família (Foto: Reprodução Instagram)

It Mãe: Como é a rotina de vocês hoje?

Juliana Silveira: O Bento fica na escola de 8h às 16h. Quem o acorda é meu marido, que também dá o banho, faz o café da manhã e o leva à escola. Eu levanto um pouco depois, mas dou um beijo no Bento antes de ele sair. Aí vou trabalhar e fazer minhas coisas, e quem pega o Bento na escola sou eu. Na volta, ele sempre dorme um pouco e, quando acorda, a gente brinca e depois janta. À noite, eu gosto de colocá-lo para dormir: deito na cama com ele e a gente fica uns 10 minutos conversando. É quando surgem as dúvidas e assuntos que o estão incomodando, ou o que o deixou mais feliz no dia. A hora que o Bento dorme é quando eu consigo ficar com o João. Como tenho uma babá que dorme em casa, nessa hora a gente aproveita para sair para jantar e namorar. Sabe, no fim das contas, percebi que não precisa de tanta neura e que tudo pode ser tão mais simples quando a gente não se cobra tanto.

07

“Pare aqui, aprecie a vida por um minuto e sorria” (Foto: Instagram)

  • Patricia Gattone

    Jornalista e autora do blog Espaço de Mulher (www.espacodemulher.com), é casada e apaixonada por tudo que envolve o universo feminino.

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)