Estressada? Na correria? Pare para ouvir seus sentimentos


Lêda Zoéga Parolo
por: Lêda Zoéga Parolo

Quando prestamos atenção naquilo que sentimos, mesmo se o sentimento é negativo, nossas emoções mais verdadeiras podem vir à tona e despertar novas coisas em nós (foto: 123TRF)

Com a correria do dia-a-dia, é difícil pararmos para observar nossos sentimentos. Ficamos na função de cumprir tarefas, seja no trabalho como em casa, com os filhos, com a família e o tempo passa sem a pausa e o olhar necessário.

E o que isso pode acarretar? Tanta coisa… Stress, doenças, insatisfação, depressão, falta de bem-estar e felicidade, e aquela sensação de que falta algo. Se não estamos conscientes do que sentimos, as experiências de prazer e de significado também podem perder sua intensidade. E os sentimentos estão na base de relacionamentos. Como parece difícil!!!

Quando prestamos atenção naquilo que sentimos, mesmo se o sentimento é negativo (e eles fazem parte de nossas vidas, sim), nossas emoções mais verdadeiras podem vir à tona e despertar novas descobertas em nós. É como ter uma percepção mais consciente e ampla do que nos acontece.

Essa tomada de consciência de nossos sentimentos também desenvolve novas habilidades. Olhando, nomeando e tentando entender nossos sentimentos, somos capazes também de criar empatia, envolvimento e impactar o outro. É desenvolver a tão falada inteligência emocional, que nos ensina a lidar com nossos sentimentos e os dos outros.

Como e quando fazer isso? Podemos começar no dia-a-dia, nas pequenas coisas. É como um treinamento…parar para perceber o que está acontecendo dentro de você.

Algumas dicas:

  1. Estar inteira na situação e não deixar as coisas passarem despercebidas. Reflita: As emoções “tomam conta de você”, num momento de raiva ou ansiedade?
  2. Quais sentimentos aparecem quando algo acontece? (Podem ser positivos ou negativos) Você consegue ver onde mais esse mesmo sentimento aparece, em que outras ocasiões? Ao identificar situações semelhantes e suas reações, você aprende mais sobre o quanto determinada situação impacta sobre você
  3. Como você se relaciona com você mesma? Costuma respirar antes de uma tomada de decisão ou age no impulso?
  4. Escute seus sentimentos e tente perceber o que eles estão te dizendo e pedindo.

E o mais importante: Somente você é responsável pelo que sente e o que faz com esse sentimento.

Não temos controle sobre o que acontece ao nosso redor, mas podemos nos conhecer melhor e ter controle sobre o que sentimos e como reagimos aos eventos de nossa vida.

Viva e sinta de maneira mais completa, e verá a diferença.

Um abraço,

Lêda

 

 

  • Lêda Zoéga Parolo

    Psicóloga clínica e mãe de Caio, tem foco na psicologia positiva aliada à psicologia tradicional. É coach de saúde e bem-estar e ajuda a despertar motivações e a desenvolver percepções de auto-eficácia

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)