Filhos agitados em lugares públicos


Adriana Garcia
por: Adriana Garcia

Como meu filho André fica, depois que apronta... por ele mesmo (ilustração: André Garcia)

Você alguma vez já teve vontade de dar uma sumidinha do mapa? Eu já! Meus filhos já me fizeram passar cada aperto e ter aquela sensação de que fiz tudo errado na educação deles! Me senti uma péssima mãe. Exemplos?

Quando o André tinha mais ou menos 5 anos de idade, ele pegou um chiclete no caixa da farmácia sem que eu percebesse. Ao entrar no carro e ver o chiclete na mão do menino, imediatamente voltei com ele no caixa para que ele pedisse desculpas e devolvesse. Fiquei furiosa e morrendo de vergonha. Tive de explicar que nunca se deve pegar algo que não pagamos etc e tal.

Outra vez, a dupla, Renan (hoje ele tem 7 anos) e André (que está com 9), estava elétrica em uma papelaria. Por mais que pedisse para pararem, os meus filhos não me ouviam. Ate que saíram correndo e esbarraram numa prateleira de vidro que caiu e quebrou. Por sorte, eles não se machucaram. Paguei o prejuízo, mas passei aquela carão de novo! Mais uma vez expliquei que ali não era parquinho e que não deveriam correr, que era perigoso… Sim, a mesma ladainha de sempre. 

Na fase em que eles estavam muito terriveis, não tive dúvidas: saía para fazer compras sem eles. Assim podia fazer  escolher e passear mais focada e sem tanto stress (sim, a gente merece um sossego).

Em contrapartida, não desisiti dos meus pequenos (claro!). Educar é a arte da paciência e persistência. E, de uma hora para a outra, vem o mérito. Então, se vc estiver neste momento dos pequenos incontroláveis, respire fundo, conte até dez (continue explicando, orientando). e… tenha fé que vai passar. Lá em casa, eles já estão bem mudados.

  • Adriana Garcia

    Desde que André e Renan nasceram, fez da maternidade sua profissão. Conta tooodas as suas dicas no canal Mãe Profissional

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)