As mães e o corpo em forma


Daniela Folloni
por: Daniela Folloni
Jornalista fundadora e diretora de conteúdo do Portal It Mãe

Se sentir bonita e feliz com o que vê no espelho faz bem para a alma. É um sinal de que a gente se gosta e se mima. E a maternidade é uma prova de fogo nesse sentido. Porque nunca mais você vai ser a mesma depois que tiver filhos. O  corpo muda, a mente muda. A relação com o espelho passa por várias fases e provações.

Na gravidez, há quem fique em pânico só de subir na balança e ver que a cada mês pesa mais (e se pergunta: como é que vou perder tudo isso depois?).Tem dia que é muito fácil escolher uma roupa. Principalmente quando o seu humor está combinando com aquele vestidão generoso que acomoda e valoriza sua nova (e crescente) silhueta . Tem dia que é mais difícil. Pense naquela manhã em que você cisma em colocar um jeans e mais nenhum entra! Claro, tudo é por uma justa e linda causa (ter um filho é experimentar o maior amor do mundo – e se você ainda não tem o seu, vai saber o que é isso!!). Mas ainda assim é preciso estar muito bem-resolvida para lidar com tantas e rápidas mudanças sem nem um abalo na auto-estima. Eu ficaria aqui horas falando de como o corpo muda na gravidez. O peito cresce – o que é maravilhoso para algumas mulheres e incômodo para outras. O cabelo fica lindo na maioria dos casos. Brilha mais, cai bem menos… Mas, às vezes, fica bicolor (quando o médico não libera uma tinturinha básica) ou muda de cor (quando você tem, por exemplo, que mudar do loiro das luzes ombrée para o castanho do tonalizante).

Mas o fato é que a gestação é só o começo das mudanças. No pós-parto, mais transformações. A barrigona linda e lisa dá lugar a grávidas de primeira viagem, não leiam isto! algo meio murcho, meio oco, difícil de gostar! E mais difícil ainda é acreditar que um dia ela vai voltar ao que era! Para umas volta, para outras não volta. Diferente da gestação (ou, melhor da PRIMEIRA gestação), quando o foco da vida ainda está somente em nós mesmas, o pós-parto é uma montanha russa de emoções. Por mais que você lá dentro fique pensando “ai , meu deus, quero meu corpo de volta”, você se sente muito feliz e realizada por ter virado mãe. A realização é tanta (e, cá pra nós, o trabalho que um bebezinho dá é tanto) que muitas mães se dão um desconto e fazem as pazes com o espelho – pelo menos temporariamente. Por outro lado, como nem sempre é tudo tão simples assim (e além de o corpo não ajudar, ainda tem noites mal dormidas, preocupação, uma carga enorme de responsabilidade) há muitas mães que se sentem péssimas por não conseguirem voltar a ter um corpão em tempo recorde como o caso clássico da cantora Claudia Leitte. Em qualquer uma dos casos, a beleza entrou em cena. E você precisou tomar uma decisão de como lidar com ela. E então eu volto à primeira frase deste post: “Se sentir bonita e feliz com o que vê no espelho faz bem para a alma. É um sinal de que a gente se gosta e se mima.”

Correr atrás do corpo que faz você se sentir bem é sinal de amor próprio. Mas viver infeliz enquanto não consegue o ideal é sinal de que você precisa se dar um desconto… e lembrar que você é muito mais do que um corpinho em forma. Tudo isso para dizer que, sim, você vai precisar reinventar a relação que tem com seu corpo depois que virar mãe e isso inclui encontrar novas soluções para ficar bem consigo mesma e com o espelho. Mas não precisa ser sofrido. O caminho certo é fazer o que pode (sem essa de se sentir culpada) , resolver essa relação com o corpo e se sentir feliz, sem dar bola para aquela história de perfeição.

beijos!

Dani Folloni

Me segue no Insta: @itmaedanifolloni

 

 

 

  • Daniela Folloni

    Jornalista, mãe de Isabela e Felipe, trabalhou nas revistas Vogue, Cosmopolitan e Claudia. Acredita que toda mãe merece sucesso, diversão, romance e oito horas de sono

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)