5 dicas para conciliar filhos e trabalho (e ser feliz)


Daniela Folloni
por: Daniela Folloni
Jornalista fundadora e diretora de conteúdo do Portal It Mãe

Por Daniela Salles *

mulher_trabalho

Se você montou uma rotina e sente que ainda não está tudo funcionando, reavalie (Foto: CrayonStock)

A maior constatação do meu trabalho como coach de carreira para mães é que a geração de mulheres de 30 a 45 anos querem trabalhar, gostam da dinâmica do trabalho e se sentem estimuladas quando estão envolvidas em suas atividades profissionais. Por outro lado, é verdade também que a maternidade mexe com os nossos valores, com a forma como priorizamos relacionamentos, coisas, enfim, como nos organizamos.  Para mim, essa certeza veio depois do nascimento do meu primeiro filho. Percebi que adorava trabalhar, fiz isso até na licença-maternidade, com reuniões com equipe em casa, ligações, e-mails respondidos e algumas presenças no escritório com ele pertinho ali comigo com a babá. Até que um belo dia o cruel trânsito paulistano me mostrou a dura realidade: por mais que eu me organizasse, não dava para passar três horas dirigindo para voltar para casa no fim da tarde. Esse foi o gatilho para mudanças.

Hoje, quatro anos depois, relembrando todo esse processo, vejo que a vontade de fazer o que amo é tão grande que encontro formas de realizá-lo, mesmo que isso signifique mais malabarismo do que nos tempos em que trabalhei no mundo corporativo. Encontrar esse equilíbrio é um grande desafio, tenho descoberto na minha jornada algumas ferramentas que me orientam e que me ajudam muito a realizar mais. Divido-as aqui com vocês!

1 – Mantenha o foco no que você gosta de fazer

Você sabe o que te movimenta, ou seja, quais são as atividades que você realiza espontaneamente? Aquelas que ninguém precisa te lembrar e que você se delicia realizando? Então, foque nelas. Peça para seus líderes mais atividades desse tipo. Em carreira, chamamos isso de áreas de interesse enraizados (traduzindo, são suas paixões).

2 – Solicite o que precisa

Seu líder ou o RH da sua empresa não sabe o que aconteceu com você durante sua licença-maternidade, as pessoas não possuem bolas de cristal. Então, se você conhece a organização que trabalha, culturalmente, e quer mudanças na rotina, solicite uma reunião. Seja realista no seu estudo de viabilidade da proposta. Pense no tempo de deslocamento, assim como no quanto pode abrir mão no aspecto financeiro se uma jornada menor for apresentada como alternativa. Lembre-se de que você irá para uma rodada de negociações. Liste previamente com seu companheiro tudo o que é importante para vocês, em se tratando da dinâmica familiar. Prepare-se para a reunião e, quando chegar o momento, seja específica: preciso trabalhar 6 horas no escritório e 2 em home-office para pegar meu bebê no berçário, por exemplo. Apresente uma nova dinâmica, mas já com a solução. Não tenha medo de ser a pioneira em solicitar algo diferente, outras mulheres serão eternamente agradecidas a você no futuro.

3 – Construa parcerias que funcionem

A excelência nasce da percepção pelo cliente da sinergia entre oito grandes habilidades de trabalho (TMP®). Como seres humanos temos três ou quatro mais fortes, mais espontâneas e desenvolvidas. Sendo assim, buscar sinergia para complementar suas habilidades e atuar de forma equilibrada é essencial. A sinergia só funciona se for verdadeira, se você conscientemente aceitar que não dá para abraçar o mundo, e permitir que o mundo te abrace.  Como assim? Implica em permitir que outra pessoa realize uma parte do trabalho, que te complemente. Olhe para seus colegas como parceiros e não concorrentes. Lembre-se que sua rotina mudou e que você poderá ter imprevistos, permita-se construir equipes mais equilibradas. Demostrar um interesse puro e espontâneo é um grande exercício: comece, pratique e você ficará encantada com a beleza das diversas habilidades humanas.

Delegar é uma tarefa árdua, exige revisitar suas crenças sobre como aceitar a ajuda de outro, aceitar o que é diferente, percebendo tudo de forma generosa com a vida, com você. Em casa também, delegue para ter mais tempo para você. Um exemplo simples que costumo citar é: seu marido se candidatou a ir ao mercado? Ótimo! Deixe que ele faça essa tarefa por vocês. Se faltar algum um item ou ele comprar o produto errado, tudo bem. Oriente-o novamente com a mesma paciência que você treinou algum profissional junior que atuou com você. Seu marido ainda está em treinamento, você já é sênior em mercado…

4 – Mude e seja flexível

Se você montou uma rotina e sente que ainda não está tudo funcionando, reavalie. Nada é definitivo. A vida muda com filhos, eles crescem e as demandas mudarão sempre. Pense nisso.

5 – Ande em bando

Alguns anos atrás, nas eras anteriores a internet e mídias sociais, o maternar era muito isolado. Hoje, estamos vivendo uma realidade de troca, de colaboração. Encontre outras mães incentivadoras e inspiradoras, fale com elas. Seu dia terá altos e baixos, assim como o educar. Toda nova conquista envolve alguma perda. Cerque-se de pessoas que entendem a sua missão e acreditam em você. E que podem te complementar tanto no trabalho como na vida pessoal.

Ao integrar esses pilares você aumentará suas chances de acertar na sua nova forma de trabalhar, com mais prazer e realização. Permita-se!

* Daniela Salles é desenvolvedora de programas de lideranças e coaching, parceira de entidades de empreendedorismo materno, colunista do Empreendedorismo Rosa e coach de carreira para mães. Ela vai participar do Painel Carreira x Maternidade, Como dar conta sem culpa e sem stress?, no It Mãe Conecta, que acontece no dia 14 de maio de 2016. Inscreva-se aqui!

  • Daniela Folloni

    Jornalista, mãe de Isabela e Felipe, trabalhou nas revistas Vogue, Cosmopolitan e Claudia. Acredita que toda mãe merece sucesso, diversão, romance e oito horas de sono

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)