Quem tem diabetes pode ter dificuldade para engravidar?  


Daniela Folloni
por: Daniela Folloni
Jornalista fundadora e diretora de conteúdo do Portal It Mãe

Ter diabetes não significa necessariamente ter problemas de fertilidade, mas sim ter dificuldades na hora de conceber. Por isso, em caso de uma gestante com diabetes, é muito importante o controle rigoroso da doença através de medicamentos ou insulina (foto: 123 TRF)

A partir deste mês, a ginecologista Fernanda Coimbra Miyasato, especialista em fertilidade, da clínica Fertilizavitta, em São Paulo, responde suas dúvidas a respeito do planejamento e das dificuldades para engravidar. Mande sua dúvida para contato@itmae.com.br que ela poderá ser respondida aqui no It Mãe.

PERGUNTA: Quem tem diabetes pode ter dificuldade para engravidar?  

DRA. FERNANDA COIMBRA MIYASATO: A diabetes é uma doença crônica caracterizada pelo aumento do nível de glicose no sangue. No corpo humano, o hormônio responsável por controlar a quantidade de glicose que entra nas células é a insulina.

Existem dois tipos de diabetes: tipo 1, em que há deficiência na produção de insulina e o tipo 2, quando ocorre uma resistência à ação da insulina. Geralmente esse segundo tipo está associado à obesidade, podendo causar deficiência hormonal na mulher, assim como ciclo menstrual irregular e infertilidade, aumento das chances de aborto e má-formação fetal.

 

No entanto, o tipo de diabetes não é o principal fator de relação com a infertilidade, mas sim os níveis de glicemia. O diabetes provoca aumento do açúcar no sangue e distúrbios no metabolismo das gorduras e das proteínas, e consequentemente distúrbios hormonais. Essa situação pode levar as mulheres a uma anovulação crônica, ou seja, uma ausência de ovulação.

Nos casos de infertilidade feminina, o quadro é reversível, mas na infertilidade masculina há uma dependência de haver comprometimento dos nervos e vasos.

 

Há também mais riscos na gravidez, como o de macrossomia fetal (recém- nascidos com muito peso), hipoglicemia neonatal (queda dos níveis de açúcar do bebê), excesso de líquido amniótico e atonia uterina, que é uma alteração na contração do útero pós-parto aumentando as hemorragias pós-parto.

 

Nos homens, o diabetes pode causar diminuição da libido e impotência sexual masculina. Quando há excesso de açúcar no sangue, o esperma produzido nos testículos está mais propenso a ter defeitos que impedem a fertilização. Com isso, há redução na qualidade e quantidade do sêmen. Além disso, pode ocorrer lesão dos nervos e vasos e levar à ejaculação retrógrada. Ejaculação retrógrada, significa que o sêmen, que normalmente sai através da uretra, flui em direção à bexiga urinária. Portanto, no sêmen não há espermatozoides. Nesse caso, o tratamento para engravidar deverá ser a a fertilização in vitro.

 

É importante saber que ter a doença não significa necessariamente ter problemas de fertilidade, mas sim ter dificuldades na hora de conceber. Por isso, em caso de uma gestante com diabetes, é muito importante o controle rigoroso da doença através de medicamentos ou insulina.

 

Nos pacientes que mesmo com diabetes controlado ainda não conseguem engravidar, é importante procurar um especialista em reprodução para verificar a necessidade de algum outro tipo de tratamento.

 

 

  • Daniela Folloni

    Jornalista, mãe de Isabela e Felipe, trabalhou nas revistas Vogue, Cosmopolitan e Claudia. Acredita que toda mãe merece sucesso, diversão, romance e oito horas de sono

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)