Grávida? Confira os cuidados na manicure


Dra. Carla Bortoloto
por: Dra. Carla Bortoloto
Médica especializada em dermatologia clínica e cirúrgica
 
Quando fizer as unhas no salão, sempre levar o seu “kit unhas” com alicate, tesoura, lixa, palito e até esmaltes, para diminuir o risco de contaminações. Ou pelo menos certifique-se que todo o material utilizado foi devidamente esterilizado (foto: Free Images)
 
Durante os nove meses de gestação, tudo no corpo da mulher passa por inúmeras transformações. Com as unhas isso não é diferente.  A maioria das grávidas curte toda a gestação com unhas mais fortes e que crescem rapidamente. Tudo graças às alterações hormonais, somadas ao aumento da circulação sanguínea e ao metabolismo.  Mas, em alguns casos, a futura mamãe pode experimentar a aparência inversa, ficando com as unhas mais fracas e quebradiças. Se esse for o seu caso,  invista em bases fortalecedoras.
 
As mudanças no aspecto das unhas são temporárias e as unhas voltam ao seu “normal” após o nascimento do bebê em até seis meses nas mãos e, até um ano, nos pés.
 
Uma boa notícia é que a esmaltação das unhas está liberada durante a gravidez (e na amamentação).  Mas, para evitar riscos, vale aumentar o intervalo entre as idas à manicure (a cada 15 dias, por exemplo). Também é preciso ficar atenta à formulação dos produtos, dando preferência aos esmaltes hipoalergênicos ou “free” (livres de formaldeído, toluenol, dibutilftalato, resina, cânfora, conservantes e petrolato), para que não haja exposição – mesmo que mínima – a componentes tóxicos.
 
Já as unhas de gel devem ser evitadas durante a gravidez. O produto usado para fixá-las contém metil metacrilato, substância que pode causar dermatite de contato e até inflamação, uma vez que a pele da gestante costuma estar mais sensível. Já as unhas postiças compradas em farmácia podem ser utilizadas. Tenha apenas o cuidado de aplicá-las em um local bem arejado, para dispersar o cheiro da cola. 
 
E na hora de fazer as unhas no salão, procure sempre levar o seu “kit unhas” (com alicate, tesoura, lixa, palito e até esmaltes), para diminuir o risco de contaminações. Caso não seja possível, certifique-se que todo o material utilizado foi devidamente esterilizado.  
 
Caso surja uma micose na unha, não é preciso se desesperar. O tratamento pode ser feito durante a gravidez, com pomadas ou esmaltes antifúngicos prescritos pelo dermatologista ou obstetra.
 
E uma dica importante para as semanas que antecedem o parto, é passar esmaltes clarinhos ou apenas base nas mãos. Esmaltes escuros atrapalham a medição (feita pelo dedo) do oxigênio sanguíneo no momento do parto.
  • Dra. Carla Bortoloto

    Médica especializada em dermatologia clínica e cirúrgica, Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Clínico Cirúrgica (SBDCC), ela acredita no papel fundamental das mães em passar aos filhos a importância dos cuidados com a pele, cabelo e unhas

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)