Papinha de pêssego irresistível


Monique dos Anjos
por: Monique dos Anjos

A papinha de pêssego fez sucesso aqui em casa. É natural e facílima de fazer (foto: Monique dos Anjos)

Tudo começou com uma greve de fome de três dias. Mas aqui, diferentemente de Guantánamo, não alimentamos nossos manifestantes à força. Nos restou contar com a sorte e a potência do leite materno – quando esse não era igualmente desprezado.

Logo veio a diarreia. Sua passagem deixou um rastro literal de destruição de roupas e bombardeio de fraldas. Nada comparado aos gritos de socorro que ecoavam noite adentro, fazendo latir todos os cachorros da vizinhança que, num misto de solidariedade e medo, respondiam com gemidos igualmente arrepiantes.

Eis que de repente, uma nova forma de protesto surge ao meio-dia. Primeiro uma careta, uma feição de estranhamento e dúvida, então algo se revira pela boca até se mostrar por completo. A língua. Sai aos poucos, meio tímida e depois se revela por inteiro, quase chamando para briga. Não fosse o histórico de bom comportamento de sua dona, haveriam dedos indicadores prontos para o veredicto. É birra!

Mas a redenção estava por vir. Depois de receber um afago, a tal moça bem educada abre sua boca, mira o pescoço do pai e morde. Morde com a força de Clark Kent que, sem saber dos seus poderes, não imagina o alcance de seus atos. Correria e susto rapidamente dão lugar a uma sensação de alívio quase indiscritível.

Eram eles, afinal: os dentes. Essa foi a força maior que tomou nossa pequena cria, transformando-a em um tipo de gremlin nervoso que inferniza a cidade por não ser alimentado após a meia-noite. Respiramos aliviados, sentimos suas pontas afiadas – não sem sermos repreendidos com outra mordida – e nos confortamos com a esperança de que ela só terá esses dois dentes por um tempo. Depois nos recuperamos por completo e aceitaremos os novos;).

Assinado

As testemunhas

Como toda boa história, essa também tem um final feliz. Aproveitei o paladar ultra seletivo da pequena para bolar receitinhas saudáveis e atraentes. Tudo para conquistar a simpatia da moça e tentar fazer o máximo de colheradas quebrar a resistência. E não é que funcionou? Preparei uma sobremesa de pêssego com folhinhas de hortelã que virou hit de sucesso. Pode até ser que com os dentes o apetite tenha simplesmente voltado. Mas que minha papinha doce ficou irresistível e ajudou a derrubar o jejum, disso tenho certeza.

Dica: o mais legal é poder levar uma porção pequena a tira colo cada vez que sei que vamos passar bastante tempo na rua. Quando isso acontece, deixo a quantidade que quero no freezer horas antes de sair, para não correr o risco de servir papinha amornada no carro.

beijos,

Monique

Ingredientes

  • 04 pêssegos maduros
  • Folhas de hortelã

Você só vai precisar de pêssegos maduros como estes e folhas de hortelã (foto: Monique dos Anjos)

Como fazer

Em uma vasilha com água fervente, mergulhe os pêssegos – previamente lavados – por 60 segundos. Imediatamente depois, transfira-os para um recipiente com água gelada afim de interromper o cozimento.

Descasque os pêssegos, corte-os e dispense os caroços. Amasse a fruta com um garfo ou bata no liquidificador para uma consistência mais suave. Para finalizar, acrescente folhas de hortelã sobre o purê. Coloque a papinha em um potinho e sirva.

Rendimento: 04 porções

Tempo de preparo: 15 minutos

Fica a dica Para variar, você pode acrescentar outros sabores à receita. Aproveitei para incluir kiwi fresco e até um pouquinho de cravo em uma das ocasiões. Ela gostou!

 

 

 

  • Monique dos Anjos

    Com diploma de jornalista e alma de cozinheira, a editora convidada de gastronomia do It Mãe passou a sentir a vida mais doce desde que se tornou mãe da Victoria.

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)