5 dicas para criar um quarto montessoriano


Ana Cláudia Pastina e Paola D'Eva Durço
por: Ana Cláudia Pastina e Paola D'Eva Durço
Arquitetas sócias do escritório OFFICINA 44

quarto_montessori_kidswoodlove

A cama fica à altura do chão no quarto montessori (Foto: Reprodução / Pinterest KidsWoodLove.De)

O quarto montessoriano, que está na moda atualmente, se baseia nas ideias da médica e educadora italiana Maria Montessori, cuja metodologia de ensino prioriza a chamada autoeducação. A proposta, quando levada à decoração, tem como objetivo oferecer um lugar com móveis e objetos na altura dos olhos da criança, para que ela possa ter autonomia e liberdade com segurança, sentindo-se à vontade para explorar o espaço. Uma das grandes vantagens desse tipo de quarto é que, de fato, seu filho fica mais livre para explorar e aprender, pois tudo está ao seu alcance. Os brinquedos ficam no chão ou em móveis baixos e, de preferência, devem ser oferecidos em esquema de rodízio (trocados a cada 15 dias), para evitar a monotonia.

Outra característica marcante é a ausência do berço, que costuma ser substituído por um colchão no chão. Já as roupas também devem ter fácil acesso para que, no tempo dele, consiga se vestir sozinho. Evite móveis com quinas, gavetas e portas para prevenir acidentes, assim como modelos que possam tombar. E, claro, não se esqueça de cobrir as tomadas com protetores. Ficou interessada? Então, confira a seguir cinco elementos importantes na composição desse tipo de ambiente.

1) Colchão no chão

Use um colchão direto no chão, para que a criança ganhe autonomia para ir ou sair da cama. Para proteger o bebê, coloque travesseiros e almofadas em volta. Depois, quando ele estiver mais crescidinho, pode-se usar uma base ou uma cama mais baixinha.

2) Espelho

Tenha um espelho para que seu filho aprenda a se reconhecer desde cedo. O objeto deve ser colado em uma placa de MDF ou madeira e preso à parede para evitar que, se quebrar, os pedaços se soltem e machuquem a criança.

3) Barras nas paredes

Coloque uma barra afixada na parede para facilitar que a criança fique em pé e comece a andar.

4) Tapete sensorial 

Escolha um tapete confortável, não apenas para proporcionar experiências sensoriais para os bebês, como também para que ele brinque livremente pelo chão.

5) Decoração minimalista

A decoração deve ser minimalista, ou seja, com poucos objetos e enfeites, priorizando sempre o espaço livre para o seu pequeno explorador.

  • Ana Cláudia Pastina e Paola D'Eva Durço

    As arquitetas são sócias do escritório OFFICINA44. Ana é mãe do Vinicius, e Paola do João Pedro e da Maria Clara

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)