4 cuidados simples para evitar doenças de inverno


Vanessa Radonsky
por: Vanessa Radonsky
Pediatra do Fleury Medicina e Saúde
Manter hidratação e limpeza da mucosa do nariz através de lavagens frequentes com soro fisiológico  ajuda a prevenir doenças respiratórias (foto: It Mãe)

 

Junto com o inverno vêm as quedas bruscas de temperatura, a baixa umidade do ar, a aglomeração de pessoas em lugares fechados e, muitas vezes, o acúmulo de poluentes que facilita a proliferação de vírus. O resultado disso? Crianças doentes. Os problemas respiratórios são os casos mais comuns entre os pequenos, pois as crianças são mais vulneráveis do que os adultos por apresentarem menor imunidade. Quanto mais nova a criança maior chance de ficar doente.

Entre as doenças de inverno podemos citar resfriado comum, gripe, otite, amigdalite, sinusite, asma, pneumonia e bronquite. A maioria delas é causada por infecção viral e algumas delas, como sinusite e pneumonia, podem também ser via infecção bacteriana. As crianças pequenas costumam ter oito a dez resfriados por ano, ou seja, um resfriado a cada 30 a 60 dias, que pode se tornar mais frequente nesta época do ano. Crianças maiores já costumam apresentar patologias como amigdalite e bronquite.

 Os sintomas variam de acordo com a doença, mas em geral estão presentes: coriza, tosse, espirros, febre, obstrução nasal, dor de garganta e irritabilidade. Nos casos de dificuldade de respirar, a criança deve ser examinada pelo médico com urgência.

As doenças respiratórias costumam ser transmitidas pelas vias aéreas – ao tossir ou espirrar por exemplo – momentos que ocorre a eliminação de gotículas contaminadas que permanecem no ar por cerca de uma hora. Também podem ser transmitidas pelo contato com secreção de outra pessoa doente, por meio de mãos contaminadas em contato com objetos por exemplo. Neste caso, o vírus também permanece vivo por horas.

Dessa forma, para evitar a transmissão, recomenda-se:  

  1. Lavar as mãos ao tocar em objetos como maçaneta ou corrimão, proteger a boca ao espirrar ou tossir e evitar lugares pouco arejados
  2. Manter hidratação e limpeza da mucosa do nariz através de lavagens frequentes com soro fisiológico
  3. Evitar contato com pessoas doentes, principalmente crianças abaixo de dois anos de idade
  4. Vacinação contra a gripe (vírus influenza que causa um quadro clínico mais grave que o resfriado comum e que pode ter complicações como a pneumonia)

 

 

 

  • Vanessa Radonsky

    Pediatra do Fleury Medicina e Saúde, tem especialização em Endocrinologia Pediátrica pelo Instituto da Criança – HCFMUSP e é pós-graduanda em Endocrinologia e Metabolismo Ósseo pela UNIFESP. É mãe da Letícia e da Beatriz.

Vale a pena dar uma olhada na minha seleção de produtos incríveis e serviços
 que facilitam sua vida de mãe ;)